O e-commerce na pauta da NRF

0
78

A NRF dedicou uma sessão neste primeiro dia de evento ao “Responsive Design”. Caso não conheça a expressão, aqui vai a explicação: significa construir uma versão do seu website que se adapta automaticamente ao aparelho que o consumidor está usando, seja a tela de um computador, de um tablet ou de smartphone. Isso ajuda a melhorar a navegação e garante uma melhor experiência para o cliente. Nesses tempos em que as plataformas móveis ganham cada vez mais importância, qualquer tecnologia que ajude a diferenciar a interação online do consumidor com a marca será bem-vinda.

Navegação

O tracking de navegação e de compras dos clientes de e-commece trouxe um insight, já aplicado a alguns sites, quanto à forma de agrupar produtos, fugindo da organização tradicional por categorias e relacionadas hierarquicamente. Isso é o “Merchandising assimétrico”, que tem proporcionado resultados interessantes em termos de resposta de consumo e experiência de compras. Como expandir e como aplicar tal conceito ao mundo físico, foi o tema do debate envolvendo o CEO da Staples.com.

Big Data

Parece não haver limites em termos da capacidade da tecnologia decodificar hábitos, comportamento e mesmo intenções dos consumidores e visitantes das páginas dos sites de e-commerce. Isso pode proporcionar poderosas formas de comunicação e de ofertas direcionadas ao perfil de cada um. Mas quando saber se não se está ultrapassando a fronteira entre o serviço relevante e algo intrusivo? Um artigo mostrou que a Target identificou uma jovem grávida mesmo antes de seus pais, uma possibilidade fascinante, porém assustadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Insira seu seu nome aqui