Varejo consciente

0
217
O terceiro dia da NRF 2014 exibiu dois cases de empreendedores que estão mudando o modo como se relacionam, não apenas com seus consumidores, mas com a comunidade.
“Acreditamos que o capitalismo é a melhor forma de ajudar o mundo˜, disse Bert Jacobs, fundador da Life is Good, um negócio de 100 milhões de dólares que começou vendendo camisetas com mensagens de motivação, conectando pessoas e promovendo um impacto positivo em sua comunidade, revertendo 10% de seu lucro para crianças com necessidades e desenvolvendo shows beneficentes. “Uma atitude positiva pode se tornar viral”, acredita Bert, que estruturou sua empresa em três pilares essenciais: otimismo, diversão e autenticidade.
Outro negócio que nasceu a partir de uma motivação social é a TOM Shoes. Com a filosofia One to One, a empresa desde o seu início pratica a doação de um par de sapatos a cada par vendido. Esta filosofia levou também à criação de um marketplace, em que empreendedores sociais de diversas partes do mundo também podem comercializar seus produtos seguindo o mesmo conceito, possibilitando que o consumidor possa comprar não apenas escolhendo sua marca preferida, mas também a causa que quer abraçar ou a região que deseja impactar. Um projeto audacioso, que busca alcançar uma audiência mais ampla, indo além das fronteiras. Hoje, a empresa está presente em 50 países, promovendo engajamento social e transformando vidas.
Trabalhar com valores básicos, intrínsecos ao dia a dia de seus consumidores é, na opinão de BJ Bueno, fundador da The Cult Branding Company, uma tendência muito forte no setor: “O varejista do futuro vai irradiar felicidade, vai ter mais empatia pelos outros e vai precisar adotar a esperança e a confiança no futuro”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui