O valor da pesquisa por meio da Internet

0
104

A notícia é positiva para pesquisadores e clientes: 41% dos lares brasileiros acessam a web, de acordo com a última pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada divulgada há poucos dias.

Recordo do início da década de 2000 quando o tema “pesquisa online” começou a merecer atenção no Brasil e a penetração da rede atingia em torno de 15% dos domicílios. Havia barreiras para a aplicação dos métodos de pesquisa por meio da Internet. Na época, os produtos ou serviços relacionados à tecnologia, Internet ou de consumo mais elitizado eram pesquisados no Brasil junto aos consumidores, no mundo virtual. E muitas vezes nossos estatísticos pediam para criarmos amostra de controle no “mundo real”, para corrigirmos possíveis desvios comportamentais.

Voltando a 2014 é fato que a pesquisa online nos proporciona excelente valor (leia-se custo e benefício). Conveniência para quem responde a pesquisa, agilidade em relação aos métodos convencionais presenciais e telefônicos são os dois grandes grupos de motivos. O entrevistado responde quando, onde e como lhe for mais conveniente. O pesquisador tem a chance de obter resultados de amostras muito maiores e melhores em termos de segmentação, abrangência geográfica (na web não há fronteiras!) de forma rápida, assertiva e com reduções importantes de custo e prazos. E no mínimo com a mesma qualidade das abordagens tradicionalmente usadas.

O mercado global de pesquisas online ganha terreno e 30% dos estudos são realizados no ambiente virtual, segundo os dados da ESOMAR. O percentual está alinhado à própria penetração da Internet global (34%). Na América Latina e especialmente no Brasil o avanço das pesquisas via web ainda estão aquém dos patamares de 1º mundo, especialmente em função da disponibilidade de mão de obra acessível (pesquisadores) para a realização das entrevistas, que acomodam em relação à evolução para o mundo virtual.

As mudanças socioeconômicas recentes já são sentidas no universo das pesquisas presenciais ou telefônicas e os serviços de coleta de campo estão sendo impactados pela falta de mão de obra qualificada. Percebemos os aumentos nos custos das entrevistas sem a contrapartida em qualidade. Nesse sentido as pesquisas online são um caminho seguro, abrangente e com excelente valor para as nossas empresas.

Célia Bastos (celia.bastos@gsmd.com.br), diretora de Inteligência de Mercado da GS&MD – Gouvêa de Souza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui