5 regras de ouro para ser bem sucedido nas redes sociais

0
137

Por Janice Mendes*

Nos dias atuais já está bem claro que, querendo ou não, a sua marca muito possivelmente estará presente nas redes sociais. Não tem muito tempo que iniciamos no segmento brasileiro de shopping centers a discussão sobre ser ou não ser digital. Lembro que estava eu sentada na plateia do 11º Congresso Internacional da Abrasce – Associação Brasileira de Shopping Centers, no ano de 2010, assistindo ao painel dirigido por Luiz Alberto Marinho – sócio diretor da GS&BW, junto com o irreverente Marcelo Tas. A discussão naquele momento trazia à tona a questão do estar ou não estar nas redes sociais. De lá para cá, o assunto evoluiu muito. Os malls brasileiros fincaram suas bandeiras no território do “social networks”. Podemos ver os perfis dos empreendimentos, em diferentes redes, pipocando posts e as famosas hashtags nas redes sociais.


Leia também:

– Semana de Decisão LATAM Retail Show: mais negócios, menos investimento

– LATAM Retail Show recebe palestra de fundador da Polishop 


Já avançamos no entendimento da importância de estarmos presentes de forma ativa nas redes sociais, embora ainda haja um caminho longo para ser percorrido no sentido de relevância. É recorrente encontrar empreendimentos que só fazem a reprodução da comunicação de massa, produzida para mídia impressa e TV, em seus perfis. Sem falar que ainda existe um abismo grande entre o mundo “ON” e o “OFF”, quando na verdade estamos em um único universo e o correto seria a união destes universos.

Fato é que as redes sociais chegaram para ficar, trazendo infinitas possibilidades de dialogar com públicos clusterizados e, se comparadas com os meios tradicionais de comunicação, com possibilidades superiores de mensuração e obtenção de resultados efetivos . Porém, para conseguir surfar esta onda e obter resultados relevantes, não dá mais para fazer comunicação como antigamente.

Para simplificar o assunto, separamos abaixo 5 regras de ouro para um shopping center se destacar nas redes sociais, garantir resultados e principalmente conquistar fãs além do universo online.

1. Não esqueça dos objetivos e estratégias de marketing

Precisamos sempre lembrar que redes sociais são só a ponta do iceberg! É o território tático e como qualquer ação tática é necessário que esteja alicerçada pelos objetivos de marketing definidos anteriormente e convergindo para o atendimento das estratégias.

Percebemos, com a prática, que durante planejamentos digitais para shoppings, localizados em diversas praças, não é rara a necessidade de voltarmos um passo para a definição de objetivos e estratégias de marketing antes de seguir com o planejamento digital.

Portanto, também cabe, para a atuação nas redes sociais, a famosa frase: “Se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve”.

2. Escolha a ferramenta que melhor conversa com seu público

 
Esta regra propõe um exercício de reflexão sobre qual rede social (Facebook, Instagram, Snapchat etc.) em que a sua marca deverá estar ativa. Ao fazer este exercício, você certamente vai encontrar muitas possibilidades disponíveis. Para fins de marcar território, é valido criar o perfil nas maiores e principais redes sociais existentes. Porém, certamente existem canais que serão menos ou mais aderentes ao seu negócio e convergentes às suas estratégias. Por isso, invista tempo nas que apresentarem melhor conexão com o público almejado.

3. Produza conteúdo relevante

Começando pelo começo: é óbvio e muito importante, antes de mais nada, conhecer seu público! Perguntas como “Para quem se destina o conteúdo?” e “Quem deverá ser envolvido?” devem, a todo momento, povoar a mente do responsável pela produção de conteúdo. A próxima missão é aplicar, em cada ferramenta escolhida, o conteúdo e linguagem apropriada. Cada rede social tem um formato de conteúdo que engaja mais e por isso posts únicos e exclusivos em plataformas diferentes garantem que a mensagem será entregue da melhor maneira para o seu fã. Por isso, o famoso copiar e colar em diferentes lugares pode não ser uma ideia tão boa assim.

Seja qual for a rede escolhida, é imprescindível que o conteúdo seja genuíno, envolvente e atraente. Sem esquecer que rede social nada mais é do que pessoas conversando com pessoas, pessoas conversando com marcas, marcas conversando com pessoas e marcas incentivando pessoas a conversarem entre si. Tudo que estiver longe deste conceito estará distante linguagem apropriada para redes sociais.

4. Medir resultados

Recorrendo ao famoso guru de administração Peter Drucker, aplicamos a sua famosa frase na 4ª regra de ouro: “o que não é medido não pode ser gerenciado”. Existem várias ferramentas para auxiliar na mensuração de resultados no mundo do “social networks” que possibilitam saber exatamente qual o perfil do público que estamos impactando, qual a sua localização, qual ponto de partida do acesso, comparação da sua interação com a de seus concorrentes e, entre outras informações, é possível até mesmo ter um termômetro do sentimento da interação entre fãs e marcas. São ferramentas, muitas vezes, gratuitas que permitem avaliar os indicadores de performance, para o monitoramento de alcance dos objetivos estabelecidos.

5. Oportunidades de proporcionar experiências e conquistar novos fãs

Vamos combinar que não deve existir uma barreira separando o momento “ON” e o “OFF” dos consumidores, certo? Então levar o que é sucesso na redes sociais para o Mall e no caminho contrário, trazer o que é sucesso no Mall para as redes sociais, é a forma perfeita para liquidar o abismo entre os dois mundos, proporcionando interação e engajamento com o seu consumidor.

É importante reconhecer que estamos, sim, caminhando, mas o consumidor segue avançando com velocidade bem acima da nossa. Enquanto estivermos apostando todas as nossas moedas na velha comunicação, estaremos jogando uma boa quantidade delas na lata de lixo! #PenseNisso

*Janice Mendes (janice@gsbw.com.br) é gerente de Projetos da GS&BW.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Insira seu seu nome aqui