PORTAL REVISTA EXAME: "As 10 tendências estratégicas do varejo do Brasil na Omniera"

0
234

O novo artigo do diretor-geral da GS&MD Gouvêa de Souza, Marcos Gouvêa de Souza, no portal da Revista Exame.com traz uma visão sobre uma tendência: a Omniera:

O varejo brasileiro viveu sua Década de Ouro no período de 2004 a 2013 com a expansão do Consumo e do Mercado em todas as regiões brasileiras que fez com que crescesse sua participação no PIB de 18,8 para 25,8%.

Para efeito de comparação, no mesmo período de tempo, dentre os diversos conceitos, formatos e canais, a evolução foi de 1,6 para 2,4% do PIB para as franquias, 0,5 para 0,6% para a venda direta, enquanto a venda dos shoppings que representavam 2,1 passaram para 2,7 %, e o e-commerce, que detinha 0,1 do PIB pulou para surpreendentes 0,6 %.

Neste ciclo que se iniciou a partir de 2014, e que será marcado pelo desenvolvimento da Omniera, tema que será dominante nos debates durante o LATAM Retail Show em São Paulo de 24 a 27 de Agosto, algumas tendências serão marcantes.

1. Consolidação

O setor varejista, em seus diversos canais, negócios e formatos, viverá acelerado processo de consolidação com as maiores redes e marcas ampliando sua participação de mercado num cenário que será marcado pelo acirramento de competitividade derivado do cenário econômico-financeiro mais complexo, especialmente no período 2014-2017, consumidores com mais opções de escolha e mais empoderados e racionais em seu processo de avaliação e compra de produtos, serviços e marcas;

2. Pressão sobre a rentabilidade

Independente de formatos, marcas e canais operados, o mercado varejista brasileiro será fortemente pressionado na questão da rentabilidade como resultado do processo de consolidação de mercado, que aumenta a disputa entre os principais operadores atuantes no Brasil e mais aqueles internacionais que oferecerão produtos e marcas a partir de suas operações globais através dos canais digitais, que desconhecem as fronteiras geográficas tradicionais;

3. Amadurecimento Setorial

O varejo brasileiro foi um dos que mais amadureceu nos últimos anos, quando comparado com uma base de mais de 160 países como apresentado pelo GRMI – Global Retail Maturity Index. Considerando as variáveis que compõem esse índice e mais a própria realidade de mercado, haverá continuidade do processo de amadurecimento setorial, puxado fortemente pelo aumento da presença internacional no varejo brasileiro e mais o processo de consolidação e apesar de algum recuo nos indicadores de natureza social e de evolução da renda;

4. Internacionalização

Haverá continuidade no aumento de participação das redes com controle internacional no mercado varejista brasileiro especialmente pela expansão maior das redes já atuantes no país e também pela entrada de novos operadores internacionais através de franquias ou operações próprias, sendo que neste caso através de aquisição de marcas ou negócios já existentes, ou até mesmo pela aquisição das operações de máster-franqueados;

5. Formalização

Haverá um aumento no nível de formalização de mercado como resultado da conjugação de dois fatores. De um lado o aumento da participação de mercados das redes formais, mais estruturadas, organizadas, controladas e preparadas para o cenário competitivo e de outro pela atuação mais incisiva do governo, com todo seu instrumental tecnológico, na apuração e cobrança nos campos fiscais, tributários e trabalhistas;

6. Digitalização

Acompanhando as tendências globais, o varejo brasileiro avançará fortemente em tudo quanto se relacione com o digital, envolvendo o e-commerce e também, especialmente, o relacionamento, a propaganda, a promoção e a própria digitalização das lojas e pontos de venda. A constatação que no momento a participação das vendas pelo e-commerce representem 3,5% das vendas totais do varejo, enquanto que nos mercados mais desenvolvidos varia entre 10 e 15%, é apenas um aspecto a ser considerado nessa análise pois de fato o mais importante é entender toda a dimensão desse processo e seu impacto na Omniera;

7. Tecno-Instrumentalização

Os próximos anos serão marcantes pela incorporação de mais soluções tecnológicas em todos os aspectos das operações, envolvendo hard e softwares que permitam ao mesmo tempo melhoria de eficiência e produtividade, com redução de custos e maior acuracidade das informações, e a melhoria da experiência e conveniência para consumidores cada vez mais demandantes de mais por menos;

8. Mais serviços integrados

O período será marcado pela maior incorporação de serviços integrados ou não com a oferta de produtos pelo varejo como forma de diferenciar, melhorar rentabilidade e se posicionar de forma marcante perante os consumidores;

9. Profissionalização

A maior incorporação de ferramentas tecnológicas pelo varejo, o aumento da competitividade, a internacionalização e a crescente digitalização farão emergir um setor muito mais profissional demandando um amplo processo de capacitação e desenvolvimento de recursos humanos e práticas alinhadas com essas novas demandas;

10. Aumento da atuação direta de fornecedores de produtos, marcas e serviços

O cenário mais competitivo dos próximos anos associado com o processo de desintermediação de negócios no mundo serão decisivos para aumentar a presença de fornecedores de produtos e serviços diretamente no varejo nos diversos canais. O crescimento dos mercados de e-commerce e franquia estimulam ainda mais essa presença direta desses fornecedores o que pode determinar inclusive o reposicionamento de muitos negócios nascidos no âmbito industrial e que com o tempo se tornaram negócios integrados verticalmente. Outros elementos estimuladores desse processo são o sucesso daqueles que já o fizeram e o avanço da estratégia das marcas próprias pelo varejo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui