Franquias: juntos é melhor do que separados!

0
93

Por Claudia Bittencourt*

Porque no franchising engajar pessoas pode potencializar resultados e sustentar a rede? Nunca foi tão importante na vida das empresas, em especial das franqueadoras, manter e engajar pessoas, o que é um grande desafio, pois afeta diretamente na alta performance e na felicidade das pessoas.

Nas redes de franquias, engajamento pode significar além de melhores resultados nas operações, a condição para continuar a expansão, ganhar mercado e desenvolver cada vez mais diferenciais que contribuirão com a sustentação do negócio ao longo do tempo.

O mundo já não é o mesmo há muito tempo, as empresas já não são administradas como eram no passado, os consumidores estão revolucionando a forma como fazem suas compras, a tecnologia empurra as empresas pra frente, provocam inovações, muitas vezes viram as empresas de cabeça para baixo ou as atropelam, ficando apenas a comprovação da falta de agilidade e perspicácia de seus dirigentes para a adaptação ao mundo novo, global, digital, móvel, dinâmico e que tem pressa.

Os desafios
No contexto acima, o franchising enfrenta grandes desafios. O maior deles é como alinhar o que o dono da marca, o franqueador, pensa e age em relação à evolução do mundo dos negócios com o que pensa e age o seu operador/franqueado lá na ponta, aquele que teoricamente deveria defender a marca, desenvolver o mercado que lhe foi concedido e conquistar clientes com um excelente padrão de atendimento.

É aqui que entra o engajamento, que, resumindo algumas definições, trata-se de manter pessoas mobilizadas em prol de uma causa, onde dedicam seus esforços no sentido de gerar um maior grau de envolvimento, comprometimento e colaboração naquilo que deve ser realizado. Essas três últimas palavras – envolvimento, comprometimento e colaboração, já seriam suficientes para se afirmar que a falta desses atributos pode ser o caos na rede.

Sintomas do engajamento
Engajamento nas redes de franquias significa franqueado e seus colaboradores comprometidos com os resultados da operação sob seu comando, porém com um olhar no todo, dispostos a contribuírem para melhorar o negócio e atentos ao mercado. Esses franqueados procuram trocar experiências bem sucedidas com os outros franqueados da rede e via de regra desejam ter mais de uma operação. Em resumo, mostram-se apaixonados pelo que fazem e felizes com o que têm nas mãos. Como conseguir isso?

Recentemente o Grupo BITTENCOURT foi entender como as empresas franqueadoras estão em relação ao quesito engajamento. Foi um amplo estudo onde foram ouvidas mais de 100 empresas franqueadoras com mais de 30 unidades e com mais de cinco anos de atuação no franchising. O estudo nos mostrou que ainda temos um caminho a ser percorrido quando o tema é engajamento nas redes de franquias, porém mostrou também o quanto o franchising evoluiu nos últimos 10 anos, tivemos um verdadeiro salto de profissionalismos e de boas práticas de gestão de rede, o que é excelente para o sistema.

Pilares do engajamento nas redes de franquias
Nos aprofundamos no tema e concluímos que existe três grandes pilares que promovem o engajamento nas redes: cultura, comunicação e regras claras. O primeiro, a cultura, tem a ver com valores, princípios morais e éticos, defendidos pelos franqueadores e franqueados e como estão alinhados entre si e com o propósito da marca. O segundo, o diálogo, diz respeito a como a comunicação flui na rede, e a transparência com que são colocadas e tratadas pelas liderança. E o terceiro, regras claras, é o norteador de todo o processo, o que deve ser feito para se conseguir uma rede de sucesso e como as pessoas estão capacitadas para fazer com que esse processo aconteça, para que se desenvolvam e excedam na qualidade de suas atividades no dia a dia. Com isso, não há dúvida de que os resultados acontecerão e o trabalho será uma fonte geradora de felicidade.

Algumas recomendações para franqueadores e franqueados, fruto do resultado do estudo:
– Se aproximem mais, compartilhem suas dores e encontrem os analgésicos juntos;
– Estejam conscientes de que aprender e ensinar gera desenvolvimento e potencializa competências;
– Franqueadores: criem embaixadores da marca e grupos de referências e reconheçam os franqueados com melhor desempenho publicamente;
– Passe um tempo no campo, visite as lojas, esteja em contato com o franqueado e suas equipes.

Enfim, o engajamento será um reflexo da energia e da cultura do franqueador e franqueado.

Nota: O estudo “Engajamento nas Redes de Franquias” está disponível para apresentações in company para as empresas franqueadoras que demonstrarem interesse em conhecer mais sobre as boas práticas nas redes sobre engajamento. Mais informações, pelo email: info@bcef.com.br

*Claudia Bittencourt (diretoria@bcef.com.br) é sócia e diretora-geral do Grupo BITTENCOURT, consultoria especializada em redes de franquias e negócios

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Insira seu seu nome aqui