Conheça as 12 finalistas do concurso Start Me Up

0
1123

Pela primeira vez no Latam Retail Show, o concurso Start Me Up irá premiar a startup com a solução mais disruptiva para o Varejo. Confira as startups finalistas!

 

Send4

Problema: o custo do frete faz mais de 55% dos compradores online abandonarem seus carrinhos de compras na loja online.

Solução: através de uma rede física de pontos, a startup permite que os e-commerces ofereçam uma opção até 40% mais barata de frete, na qual o cliente retira a encomenda em um ponto mais próximo à casa ou trabalho dele. Ao mesmo tempo, através de segmentação, a proposta também leva fluxo de potenciais compradores para lojas físicas parceiras, aumentando em até 30% o fluxo qualificado que gera, em média, 48% de conversão cross sell em loja no momento da retirada da encomenda. Ainda é possível usar a rede para fazer logística reversa, no caso de devoluções de compras online.

Clientes: 5àsec, Chilli Beans, Netshoes, Slaviero Hotéis

LeadGrid

Problema: gerar vendas para clientes novos no e-commerce tem se tornado cada vez mais difícil, dada a competição e complexidade dos canais de publicidade online.

Solução: a startup é uma rede de troca de cupom de desconto entre lojistas online, que faz uso de um widget na página de agradecimento da loja para que o consumidor possa escolher ofertas de outras lojas da rede LeadGrid. Dessa forma, as lojas online captam leads altamente qualificados e com interesse de compra.

Clientes: Reserva, Hope, Grupo Arezzo, Mercatto, Sepha, Camiseteria, MolduraPop, dentro outros.

Pegaki

Problema: o varejo físico está perdendo clientes para o e-commerce. Diminuição do fluxo de pessoas nas lojas e consequentemente de vendas.

Solução: conectar o e-commerce com o varejo, através de uma rede de pontos de retirada em comércios locais. Pessoas que compram em grandes e-commerces podem escolher retirar suas compras em um comércio local mais próximo de sua casa. Com isso, reduz o valor do frete e aumenta o fluxo de pessoas no comércio local, que ainda ganha financeiramente para destinar um pequeno espaço ocioso dentro da loja.

Clientes: 50 pontos de retirada na cidade de São Paulo (entre lavanderias, papelarias, livraria, loja de informática e etc.)

Optimum Interfaces

Problema: O eSocial é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados. Com sua chegada, as empresas deverão se organizar, principalmente com as questões ligadas às Leis Trabalhistas. As pequenas empresas serão as mais impactadas, pois precisam adequar suas escalas de trabalho às jornadas diárias, semanais, mensais e de folgas. Se a empresa funciona 7 dias por semana e/ou com 24 horas de atendimento ao seus clientes (indústria, varejo ou serviços), ela necessita alocar seus colaboradores a fim de atender às suas demandas e também seguir a legislação trabalhista.

Solução: a startup criou um modelo matemático que identifica o número correto de colaboradores necessários para executar suas respectivas tarefas, combinando dias de trabalho e folgas a fim de atender variações nas demandas e a legislação trabalhista. A partir deste modelo, que deu origem ao Revex, um gerador, gerenciador e visualizador de escalas de trabalho, atendendo todas as demandas planejadas e em sinergia com as questões trabalhistas.

Clientes: Localiza Rent a Car, Grupo Verdemar, Grupo Mil, Santuário Nacional de Aparecida, Vert Hotéis, Superluna e supermercados.

Pricefy

Problema: falta de padronização no PDV, erros e morosidade para geração de cartazes de preços.

Solução: automação da sinalização de preços e ofertas para o PDV.

Clientes: Carrefour, Walmart, Leroy Merlin, Dalben, Supermercado Padrão.

Estoks Logística Reversa Integrada

Problema: em média, 5% dos produtos comercializados pelo varejo são devolvidos pelos clientes dentro do prazo de garantia por motivos que vão de arrependimento a avarias, entre outros. Esse processo de retorno chamado de Logística Reversa é extremamente caro e responsável por prejuízos no varejo, em especial no online.

Solução: a startup desenvolveu um modelo que integra tecnologia e serviços para reduzir em até 65% dos custos operacionais reversos tanto da indústria como do varejo.

Clientes: Arno, Britânia, Philco, Cadence, Oster, Lenoxx, Magazine Luiza, Lojas Americanas, Ricardo Eletro, Laser Eletro.

Munddi

Problema: o varejo passa por um período de transformação e busca novas maneiras de atrair tráfego qualificado para as lojas.

Solução: a startup conecta fabricantes, lojistas e consumidores para gerar informações estratégicas e promover negócios entre empresas, além de levar o consumidor para a loja mais próxima com o produto desejado.

Clientes: Linea, Aqualimp, BiOrganic e mais de 100 marcas.

Smarket Solutions

Problema: 47% das vendas do varejo alimentar brasileiro vem de ofertas, entretanto, até 50% das ofertas não geram aumento nas vendas ou, pior, geram perdas na margem de contribuição do varejo.

Solução: ao se conectar com o ERP do varejista, a startup é capaz de analisar os dados e auxiliar na tomada de decisão em relação a quais produtos ofertar, qual preço maximiza o lucro do varejista e qual a projeção de vendas. Para isso, utiliza uma metodologia que considera 3 pontos essenciais para uma promoção de alta performance: (1) processos definidos e gerenciados por meio de um workflow, que integra todas as áreas envolvidas como comercial, pricing e marketing; (2) informação, que embasa a decisão, garante previsibilidade nos resultados e alimenta um ciclo de melhoria contínua e; (3) estratégia, que considera as metas de margem e metas de competitividade em relação aos concorrentes para garantir o posicionamento do varejista em relação a suas promoções.

Clientes: Supermercados Imperatriz, Coopm, Rede Top, Supernosso, Extrabom, Arco-Mix, Comercial Reis, Supermercados Pague Menos, Hirota, A Luzitana, Mart Minas.

Novidá

Problema: dificuldade na gestão de indicadores do varejo físico, performance de lojas e informações do shopper e seu comportamento de consumo.

Solução: sensores de internet das coisas são adaptados para entregar ao mercado uma solução mais eficiente de contagem de fluxo de entorno de loja e entrada de loja, heatmap do shopper na loja, taxa de conversão, tempo de permanência e outros indicadores chave para transformar em dados a experiencia offline e, com isso, abrir portas para o omnichannel a varejo brasileiro.

NEXXTO

Problema: desperdício de alimentos, medicamentos e energia elétrica no varejo alimentício e de medicamentos. Todos os anos, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados no mundo. A América Latina responde por 6% desta perda e somente a perda no varejo alimentício brasileiro seria capaz de alimentar 30 milhões de pessoas. A eliminação destas perdas aumentaria em 29% a margem de lucro do segmento (fonte: Soluções para reduzir o desperdício de alimentos na Am. Latina – Sealed Air Food Care, Nielsen, ANTAD, FEA-USP). Além disso, segundo a ABESCO, o varejo gasta anualmente R$ 6 bilhões com energia elétrica, sendo 40% com refrigeração (ar condicionado e refrigeradores), o que representa 0,4% da margem de lucro do setor.

Solução: a startup oferece soluções para rastrear, monitorar e gerenciar em tempo real mercadorias, ambientes e ativos com o propósito de prevenir perdas, reduzir custos e garantir a qualidade dos produtos. O sistema permite o monitoramento e a gestão de variáveis diversas dos clientes, como temperatura, umidade, consumo de energia elétrica, localização em tempo real, dentre outros. O sistema possui  ainda um mecanismo de inteligência artificial baseado em algoritmos de deep learning com big data analytics com o propósito de sugerir ao usuário como ele deve configurar seus equipamentos de forma a economizar energia, bem como recomendações que aumentam a eficiência dos mesmos e a qualidade de seus produtos.

Clientes: Raia Drogasil, Ofner, Supermercados Hirota, Supermercados Alvorada, Supermercados Chama, Emporium SP, Massas AROSA, Mr. Bey, Liv Up, The Butcher, Carnes Pantanal, Massas Luigi, Armazém do Mar.

BAGY

Problemas: a startup identificou, por meio de pesquisas e conversas com lojas e clientes, que o comércio por meio do Instagram ainda é pouco eficiente. A conversão de vendas das lojas é muito baixa e a segurança e informações oferecidas aos clientes precisam ser aprimoradas. Um grande número de lojas de pequeno e médio porte não possui plataforma online específica para vendas. Isto ocorre ou por falta de dinheiro, por falta de know-how ou pela dificuldade de cadastro de produtos.

Solução: a startup criou um app marketplace integrado com o Instagram, que oferece aos lojistas transformarem seus posts da rede social em produtos vendáveis no Bagy de forma rápida e fácil. Além disso, um usuário comprador, ao curtir um post no Instagram de uma loja Bagy, encontrará os produtos desse post, já prontos para compra, na seção favoritos no app. O Bagy seleciona as lojas que participam do app, proporcionando assim mais segurança na compra.

Clientes: @viesloja, @unityseven, @misfitstore, @bracelets, @lafiori_loja, @totemacessorios, @blbaby_12

Figurini

Problemas: os principais problemas do varejo de moda são filas imensas dos provadores, falta de um vendedor com conhecimento do mercado e com bom atendimento, dificuldade de encontrar o que procura e assertividade na coordenação das peças.

Solução: a startup oferece uma solução digital para o mercado da moda, com avatar e recomendações personalizadas, como um shopping online, que conta com um digital stylist para os consumidores. Com isso, espera aumentar a conversão de vendas de vestuário utilizando recomendações automatizadas. Além de funcionar como um grande data mining, que considera dicas de moda como fator relevante, resultando em compras cada vez mais assertivas, e permite ainda experimentação das peças em avatar, que também poderá ser utilizado no varejo físico juntamente com as recomendações automatizadas para maiores conversões de vendas, ou seja, os clientes poderão experimentar looks virtualmente e receber dicas antes de ir para o provador, com atendimento personalizado e assertivo.  A primeira plataforma no Brasil que oferece experimentação virtual de roupas.

Clientes: com apenas dois meses em funcionamento, a plataforma atingiu mais de 4 mil usuários.

Durante o Latam Retail Show 2017, evento que acontece entre os dias 29 e 31 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo, será definido a startup com a solução mais disruptiva para o varejo. E olha só o time de peso que irá avaliar as startups: João Kepler e Pierre Schurmann, sócios da Bossa Nova Investimentos; Caio Camargo, diretor do Blog Falando de Varejo; Robinson Shiba, CEO TrendFoods; Sandro Magaldi, CEO MeuSucesso.com e Maurício Sucasas, CEO da GS&UP. E você, já fez a sua aposta?

Premiação

Os finalistas terão estandes na feira do Latam Retail Show e no dia 31 de agosto, das 17h às 19h, elas farão seus “Pitchs” na Arena Pagseguro Mercado & Consumo. Se você quiser conferir, o acesso à arena é totalmente gratuito, basta fazer o seu credenciamento no site: latamretailshow.com.br

A starup que levar o primeiro lugar, vai receber uma proposta no valor de 100 mil reais (equivalente à 10% de participação na empresa), que o vencedor pode ou não aceitar de acordo com o valor de sua empresa (no caso de recusa, ele automaticamente renunciará a este investimento). Além disso, leva também Troféu, Mentoria e outros benefícios.

Os segundo e terceiro lugares também levam troféu, mentoria e benefícios. Todos os finalistas receberão certificado de participação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui