Lições, aprendizados, insights e provocações do primeiro dia de visitas técnicas na NRF 2018

0
1224

Muitas lições, aprendizados, insights e provocações foram tirados, terminado o primeiro dia de visitas técnicas da NRF 2018, em Nova York, com a delegação da GS&MD – Gouvêa de Souza, onde foi montada literalmente uma operação de guerra para coordenarmos as mais de 30 lojas visitadas e estudadas pelos nossos 4 grupos, no total de mais de 100 executivos brasileiros e brasileiras dos mais diversos setores.

Se de um lado podemos observar claramente o movimento de multipolarização, cada vez mais forte no mercado americano, movimento esse já abordado no artigo (http://www.mercadoeconsumo.com.br/2017/09/11/a-configuracao-da-multipolarizacao-no-varejo/), por outro lado observamos também uma profusão de novos modelos de negócios que tem poder ou potencial de reconfigurar todo um segmento de varejo e talvez até mesmo toda uma indústria.

Tivemos a oportunidade de visitar a loja Leesa, empresa que tem revolucionado o mercado de colchões norte americano, mercado esse de USD 15 bilhões em vendas por ano.

A loja tangibiliza esse novo modelo de negócios do mercado de colchões, que está passando por uma profunda mudança. Em 2013, a startup Casper abriu essa frente oferecendo colchões exclusivamente pelo canal online, com a proposta de oferecer um produto de alta qualidade online, com preços extremamente competitivos (chegando a ser 1/3 do preço se comparado aos concorrentes tradicionais) e que pudesse ser enviado em uma pequena caixa pelos correios, fator esse fundamental para a redução dos custos, possibilitando essa política de preços agressiva.

Esse mercado, até então dominado por apenas 2 empresas, passou a ter uma profusão de novas startups fomentadas por esse novo modelo de negócios, empresas novatas como a Purple e a Lessa começaram a ganhar Market share, essa última, fundada em 2014, captou USD 9MM na 1ª rodada e USD 23MM na 2ª rodada.

A loja é espartana e não chama muito a atenção, mas nela estão todos os elementos de sucesso da empresa com a possibilidade de experimentar os produtos e acessórios, exposição da caixa onde o produto é enviado, review dos consumidores nos totens, programa de doação de colchões para famílias carentes, etc.

Outro modelo de negócios interessante é o da novata M.Gemi, empresa que representa diversos artesões italianos revendendo diretamente aos consumidores em uma espécie de venda direta sem intermediários proporcionando assim excelentes preços ao consumidor final, chegando a ser 50% a 70% mais baratos que os seus competidores diretos. Novo modelo de negócio disruptivo, com muito storytelling, atendimento especializado e com um café para seus clientes serem acolhidos enquanto descobrem acabamentos em couro legítimo e fino em seus calçados. Além de proporcionar ao consumidor produtos feitos  à mão, italianos, de alta qualidade a preços justos, a loja promove a sustentabilidade de pequenos artesãos na Itália, perpetuando a cultura do pais neste segmento. A loja também serve apenas como showroom, para os clientes experimentarem os produtos, que são entregues com frete grátis.

Definitivamente essa velocidade da mudança no ambiente de negócios é uma provocação para todos os setores do varejo e do consumo. Cabe a nós ficarmos atentos, aprendermos e nos movimentarmos rapidamente frente à essa nova realidade imposta.

Fiquem ligados na plataforma Mercado & Consumo para saber de todas as novidades e aprendizados da NRF 2018 com a delegação da GS&MD – Gouvêa de Souza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui