Conceito da uber combinatividade e o Data Business foram ressaltados no Retail Trends

0
802

Eduardo Yamashita, COO do Grupo GS& e Yuri Sonoda, sócio-diretor do Facemedia destacaram a Uber Combinatividade durante o Retail Trends, evento organizado pela GS&MD no Expo Center Norte, em São Paulo.

Yamashita trouxe muitos exemplos de lojas conceito que a delegação da GS&MD viu em Nova York. A unidade da Cadillac, por exemplo, vende estilo de venda, não apenas carros. Outro exemplo automobilístico é o da Ford Hub, que, por incrível que pareça, não tem carros. “Eles não tentam vender automóveis, mas mobilidade. O que ela e todas essas montadoras tem em comum é que estão percebendo que com a chegada dos carros autônomos não dá para tentar manter a indústria como está”, ressaltou o COO.

A Tesla é mais um case de sucesso. Ela não criou apenas carros elétricos de luxo, mas toda uma infraestrutura. A empresa instalou superchargers por todo os Estados Unidos, em suas rodovias. O consumidor pode parar em qualquer um deles e carregar seu automóvel em apenas 20 minutos. Ela criou ainda geradores especiais com uso de energia solar para que as famílias sejam autossuficientes em energia e possam carregar seus automóveis.

Todos esses exemplos foram usados para demonstrar o conceito da uber combinatividade. “A criatividade advém de boas ideias. A combinação de várias conexões criativas gera a uber combinatividade”, explicou Yamashita.

Yuri esclareceu que as inovações vêm das combinações de ideias que já existem. Ele citou o conhecido ditado: “Nada se cria, tudo se copia”.

O especialista trouxe mais exemplos dessa união de soluções. “É difícil imaginar uma startup de colchões, mas foi o que nasceu. O primeiro exemplo sócio da marca vinha do mercado de startups, era investidor do setor, Já o segundo vinha da família tradicional de uma fabricante de colchões. Dessa união veio a Leesa com todo um conceito inovador.”

Ainda sobre como colocar o consumidor no centro estratégico do seu negócio, Fábio Sayeg, CEO da Zoly falou sobre Data Business, ou seja, negócios que são transformados por dados.

Pois não basta coletar dados. Para levar a experiência e a personalização da oferta para o  consumidor independente dos canais, é necessário interpretar os dados coletados de forma estratégica.  “Mas o Varejo ainda não está sabendo aproveitar essa oportunidade, comentou.

Próximas edições Retail Trends GS&MD:

Porto Alegre

Data: 21 de fevereiro de 2018

Horário: 14h às 18 horas

Endereço: Teatro Unisinos – Av. Dr. Nilo Peçanha, 1640 – bairro Boa Vista – Porto Alegre

 

Salvador

Data: 28 de fevereiro de 2018

Horário: 9h às 12h30

Endereço: Casa do Comércio– Av. Tancredo Neves, 1109 – bairro Pituba – Salvador

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui