Instituto C&A investe R$ 3 milhões no combate ao trabalho escravo

0
875

O Instituto C&A apoia organizações que desenvolvem ações para prevenir e erradicar o trabalho forçado na indústria da moda. A instituição renovou por três anos as parcerias com a Missão Paz e com o Centro de Apoio e Pastoral do Migrante (CAMI) e irá investir um total de quase R$ 3 milhões (cerca de R$ 1,4 milhão para cada instituição).

As duas iniciativas são chave para o enfrentamento ao trabalho forçado. O CAMI atua em diferentes bairros e regiões de São Paulo, trabalhando com o empoderamento de migrantes, especialmente as mulheres, inseridos no setor da costura e têxtil. Já a Missão Paz realiza o atendimento direto a migrantes e refugiados, além de atuar em advocacy, tendo sido um dos atores da aprovação da Lei de Migração Federal 13.455/2017.

O Centro trabalha com a inserção social do migrante, na prevenção às formas de trabalho análogas a de escravo e na prevenção ao tráfico de pessoas.  O órgão é parceiro do Instituto C&A desde sua criação, em 2013.

A Missão Paz é apoiada pelo Instituto C&A há mais de 10 anos, sendo uma organização com grande capacidade de atendimento a imigrantes em São Paulo. Seu trabalho é desenvolvido pelos Missionários Scalabrinianos e seus colaboradores, com o intuito de acolher, entender e integrar os imigrantes e refugiados.

“Sobre a Lei de Migração Federal, como os atores principais desse processo estavam em Brasília, o apoio de financiadores como o Instituto C&A foi fundamental para consegui ir até lá, conversar com essas pessoas e compreender como esse texto tramita dentro do congresso nacional. A importância desse trabalho é justamente fazer o diálogo e cobrar dos tomadores de decisão que as políticas públicas sejam feitas de maneira mais próxima à realidade”, afirma Letícia Carvalho, assessora de advocacy da Missão Paz.

Uma avaliação externa realizada sobre os resultados dessas parcerias mostrou que o trabalho com imigrantes inseridos da indústria da moda é muito complexo e demanda muita atenção, especialmente nas frentes de advocacy e atendimento direto. Por isso, são estratégias de longo prazo, justificando a renovação da parceria por mais três anos.

“A avaliação externa verificou os pontos de destaque, desafios e fortalezas dos projetos antes desenvolvidos e nos ajudou a identificar conjuntamente os caminhos possíveis das novas parcerias”, afirma Luciana Campello R. Almeida, Gerente de Direitos Humanos e Transformação da Cadeia de Fornecimento no Instituto.

A renovação da parceria com a Missão Paz se divide em quatro eixos principais: advocacy, empregabilidade, atendimento ao imigrante e comunicação (disseminação de conteúdo). Os resultados desse apoio serão medidos pelo sucesso dos projetos de advocacy, pelo número de pessoas resgatadas, treinadas e capacitadas, além do número de crianças em situação de risco resgatadas e matriculadas em escolas.

A parceria com o CAMI tem como foco a atuação da instituição em justiça de gênero, por meio das rodas de conversa promovidas entre mulheres imigrantes, e sua grande capilarização, com presença em mais de dez bairros da região metropolitana de São Paulo.

O instituto, que se integrou à C&A Foundation em 2015, foca suas ações em cinco áreas: Incentivo ao Algodão Sustentável, Melhores Condições de Trabalho, Combate ao Trabalho Forçado e ao Trabalho Infantil, Moda Circular e Fortalecimento de Comunidades. Foi criado há 26 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui