Distribuição é uma das chaves para datas comemorativas e lançamentos

0
829

O Dia das Mães é considerado a mais importante data comercial do Brasil, depois do Natal. Apenas na cidade de São Paulo, principal mercado nacional, a expectativa é que as vendas do setor registrem crescimento de até 5% nos dias que antecedem a data, no comparativo com o ano anterior, segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Pesquisa realizada pelo Google apontou que o Brasil possui 67 milhões de mães e que a média de usuários da internet que celebram a data é alta, chega a 72% dos entrevistados. Sendo assim, o potencial comercial da data comemorativa explica-se em parte pelo significativo público envolvido. Ainda segundo a pesquisa, 46% das pessoas que não compraram presentes no ano passado planejam fazê-lo este ano. O estudo afirma que perfumes e cosméticos estão entre os mais procurados.

Para abastecer estes potenciais compradores, o mercado se mune de estratégias de produção e de distribuição para dar conta da demanda. Ao longo de todas as etapas de fabricação dos produtos e também no momento de fazê-los chegar aos pontos de venda, entra em cena um parceiro essencial: o operador logístico. Uma das responsáveis pelo abastecimento e distribuição dos segmentos de healthcare e cosméticos é a Panalpina Brasil. A companhia atende a Avon, sendo responsável pela importação de insumos, como as embalagens e produtos, provenientes da Ásia.

Para a companhia de cosméticos, os lançamentos, especialmente os da linha de maquiagem, são importantes e as datas comemorativas são oportunidades de venda. “Para nós, o Dia das Mães é mais representativo do que o Natal. É quando temos um de nossos maiores picos de vendas no ano, quando consideradas apenas as datas comemorativas”, afirma o gerente de logística da Avon, Humberto Ciucio.

O executivo explica que todo produto começa a ser pensado cerca de um ano antes de seu lançamento ao mercado, quando são apresentadas as ideias e as propostas para a nova mercadoria. “Logo depois, é avaliada a viabilidade da produção, em que analisamos quais serão os componentes necessários para seu desenvolvimento, qual será a logística para trazê-los até nós, quais serão os parceiros que nos auxiliarão ao longo do processo e etc. Por fim, com todo o planejamento definido e aprovado, damos início à produção de fato, com uma demanda inicial de 2 milhões de unidades”, destacou.

Ciucio ressaltou que em relação às datas sazonais é possível fazer previsões do volume necessário, o que não acontece com lançamentos, quando podem ser feitos pedidos de emergência. “Em casos de lançamentos, por exemplo, a demanda pode ser maior do que a esperada, sendo necessário transportar novos lotes de produtos com urgência para suprir os pedidos extras. Nestas situações utiliza-se o modal aéreo, capaz de realizar o transporte das cargas em um período de 3 a 8 dias”, disse Marina Manduca, gerente de contas da Panalpina Brasil, encarregada pela gestão das operações com a Avon.

*Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui