Black Friday à brasileira

392
[tempo para leitura: < 1 minuto]

Por Fábio Sayeg*

A criatividade e poder de adaptação do brasileiro sempre impressiona. Com a Black Friday não foi diferente.

A prática nasceu na década de 90, no varejo norte-americano: um dia depois da Ação de Graças, as lojas faziam grandes promoções para limparem o estoque antigo e receberem os novos produtos para o Natal.

No Brasil, a Black Friday surgiu em 2010, exclusivamente nos e-commerces. Desde então, ela foi se expandindo e batendo recordes de vendas a cada ano.

Mas com a crise e cada vez mais players aproveitando a data, várias “versões” começaram a surgir. Elas vinham em todas as cores (Blue Friday, Green Friday, Gold Friday) e foram esticadas para vários dias (Black November, Black Week, Black Weekend). A data original virou apenas matéria-prima para a versão brasileira, que se consolida cada vez mais como um período de bons negócios para o comércio digital e offline.

Em 2014, as vendas chegaram a R$1,2 bilhão – um crescimento de 40% frente ao ano interior, de acordo com a E-bit.

A pesquisa por palavras relacionadas a “promoção”, “black friday” e “preço“ vem crescendo desde fevereiro de 2015, segundo levantamento do Google.

Mesmo com a grave crise econômica que passamos, a expectativa de vendas on-line para este ano é 30% superior ao realizado em 2014. As projeções indicam que as vendas de Black Friday serão superiores ao Natal.

A WROI também entrou na onda: estamos com todo o time de plantão dia e noite durante a Black Friday, dando suporte aos nosso clientes.

Também temos nossa promoção. Novos clientes que mencionarem o código “Black WROI” durante a assinatura do contrato ainda em 2015, vão ganhar um salto de paraquedas comigo. Aproveite!

*Fábio Sayeg (fabiosayeg@wroi.com.br) é CEO da WROI (Agência de Marketing Digital)

Deixe uma resposta