Tendências e muito digital em foco, no primeiro dia de Congresso NRF Big Show

380
[tempo para leitura: 2 minutos]

Com o início do NRF Retail’s Big Show, teve início também o circuito de congressos. Temas dos mais diversos foram vistos já no primeiro dia do evento, que começou ontem (17) e segue até o dia 20. Um dos consultores da Delegação GS&MD – Gouvêa de Souza, Fábio Sayeg, dá um resumo do que ele acompanhou neste primeiro dia.

Fábio Sayeg é CEO da WROI, agência especializada em marketing digital com mais de 8 anos no mercado. Ele destaca os temas que dizem respeito às novas tecnologias. “Tudo que se está fazendo é pensando no digital primeiro, e todo o restante é para dar suporte a esse sistema digital”, defende o CEO.

Na primeira palestra, o CEO da Choice Hotels, Steve Joyce, falou sobre a aplicação de inovação dentro do sistema de hotelaria, como um programa de fidelidade com mais de 23 milhões de pessoas. Falaram ainda sobre os millennials, comparando com a antiga geração, que tinha, por exemplo, o hábito de chegar num hotel e subir pro quarto. “Por conta disso, a nova geração millennial já prefere ficar nas áreas sociais do empreendimento, utilizando freneticamente seus telefones. O novo modelo de se trabalhar e de entregar soluções para esse público”, explica Sayeg.

“If you want to play, you have to pay” foi uma das frases do Steve Joyce. Para Sayeg, não existe nada sem investimento. “Se você quer estar na primeira página de busca e quer aparecer no momento certo, você precisa pagar por isso. Mas cada vez pagar com inteligência, com conteúdo personalizado, pro público certo, na hora certa.”

Outra palestra interessante foi sobre inteligência de dados, big data, onde a Hershey’s mostrou que embora sendo do ramo de alimentação voltada a doces e chocolates, é uma empresa que busca inovar. A empresa faz uso inteligente de dados , para cada vez mais prever e entregar o produto na hora correta. Outro modelo adotado é o de QR Code que demonstra todas as informações de composição nutricional ou de aplicação do produto.

Outro momento interessante foi sobre misturas de marcas e ações “inesperadas”. 

A rede Virgin Hotels falou sobre uma parceria que fez com a GAP, para trazer para o hóspede do hotel um dinamismo e um conforto extra que o mesmo não estava esperando. “As pessoas foram para uma viagem e não esperavam que ia chover. Logo, precisavam de uma capa de chuva e podiam, fazer a compra de uma capa”.

“Não existe mais hoje uma empresa que priorize investimentos em apenas plano de mídia, plano de marketing ou outro: eles devem ser sempre pensados como plano digital. E todo o restante que chamamos de mídia tradicional (TV, Rádio etc) serve para dar um suporte ao plano digital. Ou seja, a coisa se inverteu”, analisa Fábio Sayeg.

Por Eli Carlos Vieira (publicacoes@gsmd.com.br)

 

 

 

Deixe uma resposta