Sustentabilidade tem que ser boa para seu negócio

419
[tempo para leitura: 3 minutos]

Quando falamos de Sustentabilidade, logo vem a cabeça idéias que remetem a salvar baleias, pandas e florestas. Tudo isso é muito importante, diretamente ligado a falta de cuidado do Homem com o Meio Ambiente, inclusive devido ao Aquecimento Global. Mas muitas vezes distante da realidade do Consumidor comum. Bem como distante também dos Empresários de Varejo que não veem resultado direto de ações de Sustentabilidade em suas atividades operacionais, considerando que são despesas que não trazem retorno, a não ser de imagem e mesmo assim de longo prazo.

Na verdade, Sustentabilidade só será efetivamente sustentável se for economicamente sustentável. Por isso, começamos aqui com uma abordagem pratica e eficiente: Sustentabilidade é bom para o resultado da sua empresa!

Primeiramente devemos olhar e entender se a empresa tem um Proposito e se o mesmo responde as seguintes questões fundamentais: Porque existimos? Porque deveríamos existir? Que diferença fazemos para os Consumidores e para o Mundo? Alguém sentiria falta se desaparecêssemos? Respondido isso e as respostas sendo consistentes e convincentes a qualquer um, a empresa deve escrever seus Valores fundamentais, aqueles que ela e seu fundador ou CEO não abrem mão e que reflete o cumprimento do Proposito. Tendo Proposito e Valores é possível traçar uma Visão Estratégica que reflita e englobe estas questões de tal maneira que estejam completamente alinhadas e praticadas no dia a dia da empresa e compartilhadas pela grande maioria dos stakeholders, começando pelos Colaboradores, que entendem, defendem e vivem o Proposito e os Valores na busca da Visão Estratégica. Estando isso completamente vivido passa a ser possível a medição do Impacto Social da empresa na sua comunidade e no mundo.

Ora, devemos então pensar que a empresa é uma Pessoa Jurídica, resultado da soma de varias Pessoas Físicas. Desta forma devemos analisar o Individual e o Coletivo, ou seja, como podemos ceder no “Ótimo Local” em beneficio ao “Ótimo Global”? Isto se da na medida da elevação da consciência dos Consumidores através de uma formação e interação com a empresa que busca a Integridade (ser honesta consigo mesma, para ser honesta com seu publico).

Estas duas dimensões, a individual e a coletiva, vão contribuir e interagir para a formação e evolução do Consumidor da era digital e vão influenciar o seu comportamento no que diz respeito a como se relaciona com as marcas, produtos, serviços, canais e formatos. Esta interação é fundamental para que haja uma consciência, que vai além do beneficio econômico da aquisição de produtos e serviços, envolvendo uma preocupação com Consumo Consciente e Sustentabilidade.

Quanto mais consciente o consumidor, mais ele estará preocupado com as questões ligadas ao Meio Ambiente, à preservação da Natureza, ao esgotamento dos Recursos Naturais, à necessidade de um Consumo Mais Consciente, à cadeia logística que envolve a distribuição e origem dos produtos, ao descarte consciente e à reciclagem com seus consequentes impactos no planeta.

Elevando a Consciência do Consumidor, estes passarão a entender o impacto de causas e consequências e passarão a consumir de forma mais consciente e racional de forma a preservar também o seu próprio poder de compra, pois não irão consumir pelo simples prazer de consumir, sem pensar se precisam realmente e o que farão com o produto que já tem em casa, se for uma substituição e não apenas uma acumulação. Esse tema é muito delicado e de difícil abordagem e “compra” pelos Varejistas, que pensam muito no Individual e pouco no Coletivo, mas alguns exemplos já estão mudando esse comportamento e buscando “contaminar positivamente” seus Colaboradores e Consumidores que irão replicar essas ideias por aí. É o caso de empresas como Patagônia, REI, Loblaw, Whole Foods Market, Uniqlo, Meu Móvel de Madeira, Reserva, Mae Terra para citarmos exemplos internacionais e brasileiros.

No entanto, pouco tem se trabalhado na Visão dos Consumidores/Cidadãos em relação ao Consumo Consciente e Sustentabilidade, menos ainda para saber como suas preferencias, hábitos, comportamentos e rejeições poderão impactar o mercado futuro. Poucos estudos buscam entender a cabeça dos Consumidores, mas já existem evidencias que há uma mudança de comportamento dos consumidores em relação a esse tema.

Como esse tema, tem impacto direto nas questões macroeconômicas, quando vivemos uma recessão há uma tendência de se por um “freio” nas ações sustentáveis, mas isso não deveria ser o caso, se as empresas vissem efetivamente como Sustentabilidade financeira, por exemplo cuidando da sua Eficiência Energética e da sua Gestão de Resíduos haverão economias significativas que demonstrarão esta questão de fundo.

Por isso, ações coordenadas e de longo prazo, mas alinhadas ao Proposito e Valores da empresa, em coordenação com sua Visão Estratégica, vão gerar um processo de maior informação e amadurecimento com relação ao tema da Sustentabilidade e do Consumo Consciente.

 

(parte desse material consta do livro MetaConsumidor da GS&MD)

Deixe uma resposta