Varejo Enxuto

805
[tempo para leitura: 2 minutos]

Há muito que acredito que para o varejo ser sustentável ele precisa ser enxuto. O Varejo não consegue carregar despesas em demasia, taxa de ocupação elevada em elação a receita, mão de obra cara e pouco eficiente, estoque carregado, luz, comunicação,  manutenção….. Tudo isso impacta no resultado da operação irreversivelmente.

As margens tendem a ser mais apertadas pela concorrência, fora tudo isso, ainda existe a concorrência On-line muitas vezes da mesma empresa e também do resto do mundo!

Ficou complicado “varejar” atualmente, esqueça a retração do mercado, não é só isso que impõe aos varejistas desafios monstruosos de superação.

Não estou apenas falando dos períodos onde a captação de receita através da venda anda cada vez mais difícil, estou falando do negócio em si, como os americanos  dizem ,  a  “indústria” do varejo está comendo um dobrado ultimamente.

Quando as coisas apertam o lojista não tem por onde escapar, as despesas são fixas praticamente, e no final de tudo o encerramento da operação vira um caminho sem volta….

Como sobreviver nesse novo cenário tão hostil?

Citarei algumas possibilidades que individualmente ou em conjunto podem viabilizar o negócio e até mesmo torna-lo saudável, são elas não necessariamente nessa ordem;

  • Traga os fornecedores para próximo do seu negócio, eles podem e devem investir em capacitação, premiação, merchandise e mídia. Um trabalho planejado e em conjunto, com metas, plano de investimento e possibilidades de exposição da marca para o público são muito bem-vinda pelo fornecedor, saber valorar estes espaços pode trazer uma receita extra muito relevante
  • Repense todas as despesas não estratégicas da sua empresa, com metodologia e no detalhe, para isso existem caminhos com a inteligência orçamentaria que avaliará cada linha de despesa no detalhe
  • Renegocie todos os contratos vigentes, mesmo aqueles que esteja mais confortável
  • O sortimento merece atenção especial, uma gestão cuidadosa das rupturas, margens, margens de contribuição, coberturas e tudo isso comparado com que foi planejado traz eficiência e resultados imediatos
  • Evite muito planejamento e pouca ação, o varejo exige medidas rápidas, ágeis, descarte ações que levarão muito para serem implantadas
  • Funcione como uma start-up, comece pequeno se der certo invista mais, corrija se necessário, descarte até, mas não entre pesado em novos produtos ou serviços, teste sempre
  • Por fim mensuração é a chave do sucesso, sem medir navegamos às cegas. O que não é possível medir o resultado desconfie e deixe de lado!

 

Essas ações garantem um varejo enxuto ágil e de resultado, se não encontramos expertise interno buscamos quem aporte esse conhecimento no mercado, as consultorias estão aí para isso!

Quer saber mais, entre em contato com o nosso time, teremos um enorme prazer em ajuda-los!

Jean Paul Rebetez (jean.rebetez@gsmd.com.br)

Deixe uma resposta