O que são os royalties de uma franquia?

964
[tempo para leitura: 3 minutos]

Vamos ver o que são os royalties de uma franquia e, mais, como são calculados:

O que são os royalties de uma franquia?

Como proprietário de um negócio, você terá vários custos. E, se este negócio não é uma franquia, não há como definir exatamente quais serão os custos que o negócio exigirá.

Mas, se você optou por uma franquia, esses custos serão bem mais fáceis de identificar e, melhor ainda, serem detalhados e conhecidos antes de realizar o investimento.

Todos estes números serão encontrados na COF, a Circular de Oferta de Franquias, documento que obrigatoriamente o franqueador deve entregar ao candidato a franquia até dez dias antes de assinar qualquer documento ou pagar qualquer quantia pelo negócio. É lei!

Mas vamos ver o que são os royalties e, mais, como são calculados:

Por que algumas franquias cobram royalties e outras taxas?

Quando você compra uma franquia, está entrando num relacionamento financeiro com um outro negócio, que é claramente definido no contrato de franquia que ambos assinam.

Isso significa que você concorda em seguir os procedimentos estabelecidos pelo franqueador e também concorda com o pagamento de taxas específicas da franquia em troca do direito de usar sua marca, e todo o conhecimento operacional do negócio que foi desenvolvido pelo franqueador.

Pense como se tivesse entrado de sócio em um clube muito exclusivo – onde você paga um montante inicial para se tornar um membro, além das taxas periódicas para manter-se como associado.

Numa franquia, o franqueador usa essas taxas para diferentes propósitos:

Taxa Inicial e Única de franquia

Essa taxa inicial cobre as despesas que o franqueador tem com seu treinamento, seleção do local onde será instalado o negócio, negociações de aluguel e construção, arquitetura e instalações, recrutamento e treinamento de seus funcionários e outros custos associados, até a implantação e inauguração da sua franquia.

Taxas Periódicas de Royalties

Os royalties são normalmente usados pelo franqueador para custear as despesas da empresa franqueadora, como atualizações de manuais (o conhecimento do negócio), suporte de campo, custos administrativos, salários do pessoal, recrutamento de novos franqueados, pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços.

É claro que, para bons franqueadores, essa é a única receita – sua única fonte de lucros gerados pelo negócio.

Como a taxa de royalty é calculada?

O método exato usado para calcular royalties e sua periodicidade pode variar muito entre os franqueadores, por isso é aconselhável dar uma olhada cuidadosa na COF. Geralmente, existem quatro métodos de cálculo e cobrança:

Valor fixo

Royalties com valores fixos pagos ao franqueador por semana ou mensal, independentemente das vendas da franquia ou mesmo do resultado do franqueado. Normalmente, esse valor fixo é cobrado por franqueadores que possuem pouco controle sobre o negócio e quase nenhuma presença no campo, ao seu lado.

Percentual sobre compras

Uma considerável parte das franquias brasileiras cobra royalties sobre as compras e, na maioria das vezes, o franqueador é o principal fornecedor. Além de definir o valor dos produtos, também ganham sobre o valor comprado. Muitas vezes, o franqueado é obrigado a cumprir cotas de compras.

Considero esse um sistema que atrasa o desenvolvimento das redes, pela falta de transparência e por colocar o franqueador ao lado do estoque do franqueado, e nunca ao lado do caixa, gerando muitos conflitos na relação.

Não cobramos royalties!

Acredite, existem franquias que utilizam este argumento que é muito, mas muito mentiroso. É claro (ou não) que os royalties estarão embutidos em produtos e serviços que você terá que obrigatoriamente comprar.

Nesses casos, nos quais a falta de transparência é total, você deve tomar muito cuidado, pois tomará conhecimento bem depois de o negócio ter sido instalado. Mas, como é uma franquia, você sempre terá a oportunidade de antes de investir conversar com franqueados que já estão no negócio.

Percentual sobre a sua receita

Percentual, geralmente mensal, cobrado sobre as receitas do negócio. Considero esse o mais justo, pois o franqueador ganha sobre o que você ganhou. Isso obriga o franqueador estar ao seu lado para ajudá-lo a vender e ganhar mais – até porque, quanto mais você ganha, mais ele ganhará.

Esse sistema, na maioria das vezes, obriga o franqueador a buscar fortes negociações com fornecedores, repassando todas as vantagens obtidas para a rede franqueada, reduzindo substancialmente os custos operacionais do negócio.

Tem ainda um quinto – o “escondido”

Infelizmente, somos o país da “comissão” escondida, onde advogados ganham “sucumbência”, arquitetos ganham a “reserva técnica”, agências de propaganda ganham “bonificação por veiculação” e “bonificação de produção”, médicos ganham “comissão sobre medicamentos e exames” e muitos franqueadores ganham escondido o “rebate”, um percentual sobre compras pago pelos fornecedores.

Como é uma franquia, você sempre poderá conhecer antes

Quaisquer que sejam as taxas, independente do valor e de sua quantidade, busque sempre a informação na COF e, antes de investir, converse com franqueados que já estão no negócio.

Eles vão lhe contar tudo, permitindo que você faça sua avaliação e escolha a franquia com as taxas que lhe pareçam justas em relação ao que receberá de conhecimento e suporte.

Fonte: Exame 

Deixe uma resposta