Mesmo na crise, 4 em cada 10 brasileiros compram por impulso

564
Hand Swiping Credit Card In Store. Female hands with credit card and bank terminal. Color image of a POS and credit cards.
[tempo para leitura: 2 minutos]

Cartão de crédito é a forma de parcelamento preferida. 23% dos consumidores tiveram crédito negado no último mês e 37% acreditam que está mais difícil conseguir crédito este ano, apurou SPC Brasil e CNDL

A pesquisa “Uso do Crédito” realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 37% dos consumidores admitem ter comprado algo de que não precisavam nos últimos 30 dias, devido à facilidade de crédito.

Os itens mais comprados por impulso são:

  • roupas, calçados e acessórios (14%)
  • perfumes e cosméticos (8%)
  • idas a bares e restaurantes (6%)
  • smartphones (6%)

Crédito facilitado

Na visão dos entrevistados, as lojas que mais facilitam o crédito e estimulam as compras são as virtuais (29%), seguidas dos supermercados (19%) e lojas de departamento (17%).

Dinheiro ou Cartão?

As formas de pagamento mais utilizadas nas compras são:

  • dinheiro (68%)
  • cartão de crédito (45%)
  • cartão de débito (35%)

Mais da metade (58%) buscaram evitar determinadas formas de pagamento a crédito nos últimos três meses, principalmente os financiamentos (27%) e crediários (23%).

Crediário e cheque pré-datado em baixa

47% dos entrevistados sentem maior dificuldade das lojas em aceitar algumas modalidades de pagamento, como: crediário, cheque pré-datado e financiamento. Quando o estabelecimento não aceita a forma de pagamento que o consumidor escolheu, 37% daqueles que têm sentido mais dificuldades desistem da compra, mas 27% garantem que acabam pagando à vista.

à vista x parcelado

O pagamento à vista é escolhido por 38% dos entrevistados caso o preço seja muito inferior que na compra parcelada, mas 19%, no entanto, preferem parcelar, caso a diferença de preço não seja grande para poder comprar mais coisas se necessário.

A maioria (67%) conhece a diferença do valor à vista e do valor parcelado de um produto. Considerando os últimos 30 dias anteriores a pesquisa, os consumidores pagaram, em média, três prestações/parcelas de cartão, cheque, empréstimo ou financiamento. Considerando todas compras parceladas feitas, em média, os entrevistados demorarão seis meses a pagar todas elas.

Lista de compras

  • 20% planejavam comprar parcelado roupas, calçados e acessórios
  • 13% celular e smartphone
  • 10% móveis para a casa

Considerando até o final de 2017, os produtos mais visados para compras parceladas são celulares e smartphones (17%), roupas, calçados e acessórios (15%) e eletrodomésticos (13%).

Acesso restrito

23% tiveram crédito negado no último mês ao tentar comprar numa loja de forma parcelada, sendo os principais motivos: nome sujo (6%) e limite de crédito excedido (5%)

37% acreditam que está mais difícil conseguir crédito em 2017

 

“Por um lado, a restrição ao crédito impacta sensivelmente o comércio, pois as pessoas tendem a reduzir o consumo, especialmente no caso de produtos e serviços de maior valor. Mas, por outro lado, evita o crescimento da inadimplência. O ideal será quando estivermos numa situação em que o consumo cresça de maneira sustentável”, acredita Roque Pellizzaro Júnior, presidente do SPC Brasil.

 

A pesquisa traça o perfil de 601 consumidores de todas as regiões brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos e pertencentes às todas as classes sociais. A margem de erro é de 4,0 pontos percentuais e a margem de confiança, de 95%.

Imagem: Freepik

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui