Startup mineira é convidada pelo governo chileno para programa de aceleração

366
[tempo para leitura: 2 minutos]

Plataforma oferece descontos em passagens aéreas, o que permite que os clientes possam fazer mais viagens com o dinheiro economizado

Quantas vezes já não nos frustramos ao pesquisar preços de passagens aéreas, principalmente para viagens em cima da hora, e nos deparamos com valores elevados?

O NaHora.com, uma startup mineira, vem ao mercado em busca de revolucionar as viagens dos brasileiros, oferecendo descontos de até 50%.

A plataforma foi fundada por Maria Alice Maia e Lucas Motta, em junho do ano passado, testando outros mercados, como aquisição de ingressos de cinema e teatro.

Em novembro, os sócios-fundadores mudaram o foco para as passagens aéreas, e em três semanas, desenvolveram a plataforma e a colocaram on-line. O projeto viralizou rapidamente e, de um dia para o outro, mais de duas mil pessoas haviam demonstrado interesse.

O resultado desse trabalho é que a startup foi convidada pelo governo do Chile para participar de um programa de aceleração com o intuito de expandir seus negócios internacionalmente.

O programa do governo chileno, Startup Chile, organiza o The S Factory que promove conexão entre as startups participantes, dos mais variados países.

O NaHora.com receberá investimento de 10 milhões de pesos chilenos, algo equivalente a R$ 50 mil, e permanecerá em solo chileno por quatro meses ajudando a desenvolver e gerar impacto social no ecossistema de Santiago.

Outras 30 startups foram convidadas para participar do projeto, sendo a maioria do Chile (41,9%), Estados Unidos (16,1%) e Índia (9,7%). Vale ressaltar que o NaHora.com foi a única brasileira convidada.

CATEGORIAS DE DESCONTOS

O NaHora.com oferece uma base de descontos específicos para três públicos: aqueles que viajam pouco, o público mochileiro e os passageiros de ônibus. Em pesquisa realizada por membros da startup em abril deste ano, os mais de 30 mil clientes mostraram que, com o dinheiro economizado, eles realizam mais viagens e passam a gastar de 30% a 40% a mais em seus destinos.

“O nosso foco é no público que viaja com baixa frequência e naqueles que buscam o ônibus como solução para viagem de última hora. Os mochileiros, por exemplo, conseguem economizar e viajar mais, ou seja, se um deles viaja uma vez por ano, as economias lhe permitem realizar outra viagem. Aqueles que optam pelo ônibus por conta do preço, a intenção é mostrar semelhança com o valor de passagens aéreas”, afirma Maria Alice.

Fonte: O Estado de Minas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui