Vai investir em uma franquia? Faça estas 5 perguntas à franqueadora antes

521
[tempo para leitura: 2 minutos]

Se você está pensando em investir em uma franquia, Ricardo José Alves, fundador da rede Griletto e CEO da Halipar (Holding de Alimentação de Participações), terceiro maior grupo nacional do franchising no segmento de alimentação, propõe que você faça algumas perguntas à franqueadora antes de decidir pelo negócio. 

1. Por que eu deveria investir em seu negócio?

Permita que a franqueadora apresente os argumentos dela para te convencer de que aquela franquia é o negócio ideal para você. Fique atento, porém, se o discurso está embasado, tanto em números quanto em cases de sucesso. Também é válido conversar com os atuais franqueados da rede para medir o nível de satisfação com os retornos do investimento e o suporte oferecido pela franqueadora.

2. Como é o treinamento antes da abertura e durante a operação do negócio? 

É verdade que o franchising oferece um modelo de negócio pronto, mas ninguém é obrigado a saber como implantá-lo e nem como operacionalizá-lo. Por isso, o candidato a franqueado precisa estar seguro de que contará com a expertise da franqueadora no dia a dia. Assim, questione quais os treinamentos oferecidos antes da abertura da unidade e com quais suportes poderá contar depois que o negócio começar a funcionar.

3. Quantas unidades já fecharam? Por quê?

Recentemente, a ABF divulgou os números consolidados do desempenho do setor no ano passado, que revelaram um crescimento de 8,3% na receita em relação a 2015. O percentual foi um pouco acima da projeção feita pela entidade, que apontou um índice de crescimento na faixa de 6% a 8%. O faturamento do setor foi de R$ 139,593 bilhões para R$ 151,247 bilhões. Já a taxa de mortalidade no ano foi de 5,1%. Diante desse cenário, questione quantas lojas foram fechadas em 2016 e peça uma comparação em relação aos anos anteriores. Pergunte os principais motivos que fizeram o negócio não dar certo e porquê a franqueadora não conseguiu reverter a situação.

4. Qual o planejamento de crescimento da rede?

A grande vantagem do sistema de franchising é oferecer um modelo de negócio pronto, mas só isso não é suficiente. É fundamental que a franqueadora tenha um planejamento estratégico a longo prazo e que isso seja apresentado, de forma clara, aos franqueados e aos candidatos a franqueados. O planejamento estratégico mapeia as ações que serão tomadas e o crescimento esperado, baseados em cenários externos e internos. Dessa forma, você conseguirá visualizar onde é que a empresa pretende chegar e onde, consequentemente, ela poderá te levar.

5. Quais os valores a serem pagos de taxas?

Para que o “casamento” entre a franqueadora e o franqueado dure, as regras devem estar muito claras antes da assinatura do contrato. Entre elas, estão as taxas que deverão ser pagas pelo franqueado. Questione quais são e os respectivos valores, para que não haja surpresas. As taxas básicas do sistema de franquias são: a taxa de franquia (valor único e fixo, cobrado na assinatura do contrato e refere-se à concessão do uso da marca pelo franqueado); a taxa de royalties (valor pago periodicamente, com valor preestabelecido em contrato, aplicado sobre o faturamento bruto da franquia); e a taxa de propaganda (também paga periodicamente com o objetivo de criar um fundo de investimento para a promoção da marca, como propaganda, publicidade, entre outros). Algumas redes também cobram taxa de compras e taxa de serviços. Portanto, não saia com essa dúvida da feira.

Deixe uma resposta