L’Oréal relança NYX no Brasil com abertura de lojas-conceito

947
[tempo para leitura: 2 minutos]

Três anos após ter sido comprada pelo Grupo L’Oréal, a NYX Professional Makeup está sendo relançada no Brasil.

No primeiro semestre, a holding francesa assumiu a distribuição da marca de maquiagem no País, recolheu produtos e fechou quiosques.

Agora, a nova estratégia prevê a abertura de lojas próprias. A primeira foi inaugurada hoje, 06, no Barra Shopping, no Rio.

Até o fim do ano mais três lojas-conceito estão previstas no planejamento do grupo: duas em São Paulo e mais uma na capital fluminense.

nyx_2

Brasil, o país da beleza

O Brasil é hoje o 4º país em maquiagem no mundo, movimentando R$ 7 bilhões por ano segundo a H&B Make Up. Ao lado de L’Oréal Paris e Maybelline, a NYX forma a divisão Grande Público, voltada ao varejo. Em 2016 ela respondeu por 48% do negócio do grupo francês, que faturou € 25,8 bilhões. A categoria maquiagem tem uma fatia de 26,4% das vendas e é vista como a de maior potencial de crescimento nos próximos anos.

Qualidade e preço acessível

A marca, criada em 1999, segue fiel à sua essência: oferecer ao público produtos de qualidade a preços acessíveis. Por isso, atrai desde adolescentes maníacas por maquiagens até o público profissional de beleza. Atualmente, a marca está presente em mais de 70 países. 

Além disso, no Brasil, a NYX terá três níveis de preços. Os batons irão de R$ 23, a barra, passando por R$ 34 no caso de líquidos, carro-chefe da marca, até o teto de R$ 49.

O portfólio da marca conta com 3 mil produtos, mas, neste momento apenas 2 mil virão para o mercado brasileiro.

nyx_3

Candy Shops

Para acomodar todo o mix, o grupo entendeu que quiosques seriam insuficientes, assim, partiram para lojas-conceito inspiradas em lojas de doces, onde os produtos expostos podem ser testados. O conceito prevê espaços de ao menos 80 m², com vitrine de sete metros, bancadas e espelhos, criando um ambiente inspirador, em especial para os clientes profissionais.

Estão programadas ainda aulas de maquiagem e eventos com influenciadoras de beleza. A partir do resultado das lojas próprias, a marca estuda 

A experiência com as lojas próprias vai guiar os próximos passos da marca no Brasil, inclusive o desenvolvimento do e-commerce. 

Com informações do Estadão.

Deixe uma resposta