Varejo Total – Destino: Varejo 2020! Parte II: Pessoas

1449
[tempo para leitura: 2 minutos]

Continuando nossa conversa sobre o novo varejo que surge debaixo dos nossos olhos, este varejo que tem como suporte o entendimento dos ALGORITMOS, turbinado pelo BIG DATA, softwares capazes de interpretar dados que são coletados online ou offline e predizer não apenas as tendências de consumo, mas identificar o consumidor, não há como não introduzir a este contexto o impacto disso na vida das pessoas.

LEIA TAMBÉM: Varejo Total – Destino: Varejo 2020!

Sim, nas pessoas! Se este varejo que surge é o de IDENTIFICAÇÃO por meio da tecnologia, qual o papel das pessoas – nós pobres mortais profissionais do varejo?

O que já se sabe é que esta automação precipitará o fim de diversas atividades profissionais, como é inoxerável a cada novo ciclo evolutivo que vivemos. E também, como consequência, outras novas profissões e habilidades serão requisitadas e demandadas pelo setor.

Vendedores, caixas, gestores de lojas, atendentes de telemarketing… segundo algumas previsões, estão com seus dias contatos, pelo menos da forma que desempenham suas funções hoje em dia. O varejo está inserido numa irreversível automação de processos e otimização dos recursos e repensar a qualificação da mão de obra varejista e a sua atuação é preemente.

Abaixo, destaco uma interessante pesquisa realizada pelo jornal The Economist sobre algumas profissões que possuem grandes chances de desaparecer por conta de automação dos processos, são elas:

Vendedores e atendentes de telemarketing figuram no topo da lista da pequisa como fortes candidatos a extinção nos próximos 20 anos. Chatbot já é uma realidade. “Watsons”, “Alexias” e “Siris” já são companhia para muitos clientes ao redor do mundo e, às vezes, nem sabemos disso!

E como não se perguntar: De que maneira essa onda de “desempregados estruturais” afetará os negócios nos próximos anos?

Sei que estamos longe disso ainda, mas fato é que a automação nos países em desenvolvimento gerará impacto no emprego, renda e na vida das pessoas em geral, talvez deixando muitos de nós à margem do nosso entorno profissional.

No varejo, já conseguimos enxergar exemplos dessa automação aqui e ali – self check out e robôs para telemarketing já são realidade!

Redução de Head Count com especialização cada vez maior do time é o que aponta, as novas tendências para a mão de obra.

Capacitação

Equipes capacitadas, muito bem orientadas por processos eficazes e com muito engajamento serão cada vez mais relevantes, independente das tecnologias.

O capital humano capaz de aportar curadoria e imparcialidade, navegando com fluidez entre as ferramentas digitais e o físico dando suporte ao consumidor, onde e como ele desejar, sobreviverá e será cada vez mais valorizado – estes não estão ameaçados!

Quer falar mais, entre em contato, nós da GS&CONSULT encabeçamos diversos projetos orientados para o novo varejo, será um prazer dividir as experiências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui