Preços no e-commerce completaram 12 meses em queda, em novembro

0
1068

Os preços do comércio eletrônico completaram um ano em queda em novembro, segundo a medição do Índice FIPE Buscapé.

O e-commerce teve 12 meses consecutivos de deflação anual, ou seja, comparada ao mesmo mês do ano anterior. No último mês a retração foi de 3,59%. Na comparação ante ao mês de outubro, os preços retraíram 0,07%, refletindo o impacto da Black Friday.

“Se mantida a tendência deflacionária em dezembro, o Índice FIPE Buscapé aponta que o ano de 2017 deve fechar com uma variação acumulada de -2,5%.”, disse Sandoval Martins, CEO do Buscapé, em nota à imprensa.

Dos dez grupos monitorados pelo índice, seis apresentaram redução em novembro:

  • telefonia (-15,37%),
  • fotografia (-8,05%),
  • moda e acessórios (-4,32%),
  • esporte e lazer (1,07%),
  • informática (-0,98) e
  • eletrônicos (-0,58%).

Na contramão, registraram expansão nos preços:

  • brinquedos e games (3,38%),
  • eletrodomésticos (1,95%),
  • cosméticos e perfumaria (1,50%),
  • casa e decoração (0,82%).

A cesta de produtos do e-commerce, por conta de sua composição e características, tende a ser deflacionária em condições ideais de mercado. A comparação é feita sempre dos mesmos produtos, que propendem à desvalorização com a disseminação da tecnologia, lançamento de um produto superior na mesma categoria ou troca de coleção e mostruário.

Importante destacar que a inflação dos preços gerais, medida pelo IPCA, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi de 2,80% nos últimos 12 meses terminados em novembro, taxa inferior ao piso do intervalo de meta inflacionária de 3%, o que mostra que os preços do comércio eletrônico tiveram variação de -6,22% em relação aos preços gerais da economia.

O Índice de Preços FIPE Buscapé acompanha os preços de produtos oferecidos no comércio eletrônico brasileiro desde 2011. São considerados cerca de 41 mil produtos únicos, que representam aproximadamente 80% das compras por meio deste canal. O índice é calculado com base em mais de 3 milhões de preços mensais, extraídos da plataforma do buscador de preços, e em pesos derivados de pesquisa anual com cerca de 3,6 milhões de e-consumidores, realizada pela Ebit, empresa referência em informações sobre o e-commerce do país. Os dados também estão disponíveis no site da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui