Vendas do comércio do Rio de Janeiro no Natal crescem apenas 2%

1034
[tempo para leitura: < 1 minuto]

O comércio varejista do Rio de Janeiro registrou um aumento de 2% nas vendas no Natal em relação a 2016. A pesquisa foi realizada pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas (CDLRio), que ouviu 500 estabelecimentos comerciais.

Em 2016, o faturamento havia aumentado 1%. Estes baixos resultados são fruto da crise financeira que atinge o estado e da concorrência dos camelôs.

As formas de pagamento mais utilizadas foram o cartão de crédito parcelado, cartão de débito, crediário e cartão de loja parcelado. Os itens mais vendidos foram roupas, calçados, brinquedos, bolsas e acessórios, celulares, perfumaria, beleza e bijuterias.

Aldo Gonçalves, presidente do Clube de Diretores Lojistas do Rio, afirma que as vendas do Natal correspondem a cerca de 30% do faturamento anual da maioria dos segmentos do comércio. “Pode-se dizer que elas garantem o fôlego do setor para enfrentar os três primeiros meses do ano, período de desaquecimento da atividade comercial que coincide com pesados custos fixos do consumidor como pagamentos de impostos, matrículas e o material escolar. E o resultado de 2% nas vendas do Natal foi preocupante quando se considera todo esse cenário”, disse.

Segundo o presidente, os comerciantes fizeram esforços para conseguir boas vendas, como comprar produtos desejados com preço e quantidades adequadas. Além disso, muitos investiram em treinamentos para as equipes venderem mais e conquistar novos clientes. Foram realizadas também promoções, liquidações e descontos para estimular as vendas.

Para ele, os motivos do baixo desempenho foram a crise financeira do estado, com o atraso dos salários dos funcionários públicos, o grande número de camelôs, a violência urbana e o desemprego. Diante disso, os esforços dos comerciantes não foram suficientes.

*Com informações da Agência Brasil

*Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui