UBER COMBINATIVIDADE: como a combinação de ideias está revolucionando o varejo

4094
[tempo para leitura: 3 minutos]

A atual velocidade de mudança da sociedade e dos ambientes de negócios impõe uma nova realidade e obrigam as empresas a se reinventarem. Modelos de negócios que são bem sucedidos hoje, muito provavelmente serão reinventados em um curto espaço de tempo.

A maratona de visitas, palestras e conteúdo que vimos na NRF de 2018, a maior feira de varejo do mundo, trouxe à tona os inúmeros exemplos de novos modelos de negócio que estão surgindo no varejo e no consumo.

Mas a criatividade para inovar nos negócios não é espontânea, a criatividade nada mais é do que a combinação de ideias e pontos nunca antes conectados, o que tem sido chamado de Combinatividade. Por outro lado, a tecnologia e plataformas disponíveis atualmente aumentaram de maneira exponencial a quantidade de ideias e conexões possíveis e, por isso, que nós rebatizamos esse termo de Uber Combinatividade.

Na NRF desse ano tivemos a oportunidade de ouvir da fundadora e CEO da Rent the Runway (www.renttherunway.com) como ela combinou o modelo de negócios do Spotify com uma loja de roupas femininas, onde o slogan da empresa é “Buy Less, Wear More. A empresa entendeu que assim como para a música o cliente não quer mais comprar CDs, mas sim ter acesso a uma biblioteca infinita de músicas, na Rent the Runway a cliente pode assinar o serviço da empresa por USD 159/mês para ter acesso a um guarda roupa completo, de marcas famosas, peças da última moda e com possibilidades praticamente infinitas de combinação.

Outro exemplo explorado nas palestras da NRF foi o da Bonobos (www.bonobos.com), empresa que combinou uma loja tradicional de moda masculina com o fenômeno do Showrooming, aquela tendência onde os clientes vão até as lojas físicas, experimentam e interagem com os produtos, mas, ao mesmo tempo que estão na loja, pesquisam em seus celulares o preço dos concorrentes online e compram deles.

Na Bonobos, o cliente que entra na loja é simpaticamente recebido por um consultor de moda que prontamente apresenta o conceito da marca: essa é uma loja de showroom, ela serve para você experimentar os produtos, descobrir qual o seu estilo e saber qual o tamanho certo das roupas para que possa comprar online. Esse consultor de moda prontamente abre uma conta para o cliente no site da empresa e começa a explorar qual o estilo daquele consumidor, onde ele trabalha, como se veste e do que ele gosta. Depois de experimentar diferentes looks e estilos, o cliente sai da loja com uma conta no site criada, todos os seus tamanhos de roupa cadastrados e tem mapeado quais os estilos que ele gosta. Naturalmente que a empresa se vale de todas essas informações para se comunicar de maneira extremamente assertiva com o cliente, ofertando através dos seus canais de comunicação produtos que combinam com os que ele já comprou, inclusive já mostrando como ficaria a composição da peça nova com a roupa que eles já compraram.

Se você duvida que esses novos modelos de negócio não vieram para ficar, pense duas vezes. A Bonobos, por exemplo, foi adquirida em julho de 2017 pelo todo poderoso Walmart, então prepare-se, pois esses modelos inovadores vieram para ficar. Por isso eu te convido a olhar os seus negócios com essa nova ótica, a ótica de desafiar os atuais modelos de negócio, combinar idéias e modelos de negócio nunca antes conectados, criando modelos disruptivos e inovadores.

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta