Mercado óptico perde arrecadação com produtos piratas

1069
[tempo para leitura: 1 minuto]

Os óculos são considerados um item de moda e não apenas um artigo para auxiliar a visão. Sendo assim, muitos brasileiros se preocupam com a estética e optam por armações e lentes falsificadas de camelôs, deixando a saúde de lado. A ABIÓPTICA, associação que representa as empresas do mercado nacional, estima que, apenas em 2016, cerca de R$ 9 bilhões de reais, de um total de R$ 19,6 bilhões, foram provenientes desses produtos ilegais.

A falsificação traz prejuízos à sociedade. “Quem lida com esses itens também contribui para a sonegação de impostos, já que quase a metade do faturamento do segmento óptico vem da pirataria. E isso atrapalha o crescimento do mercado, além de favorecer o desenvolvimento de doenças oculares que podem levar a perda da visão, pois a armação e as lentes do comércio popular ilegal não têm a mesma procedência e garantia que as óticas oferecem”, explica Arione Diniz, presidente e fundador das Óticas Diniz.

Em tempos de crise, a preferência por óculos pirateados tende a aumentar entre os brasileiros. Nos últimos dez anos, os órgãos fiscalizadores apreenderam mais de 80 milhões de unidades de produtos ópticos falsificados, de acordo com a ABIÓPTICA.

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta