Manifesto sobre a greve praticada por caminhoneiros no Brasil e seu atual impacto no fluxo das operações na cadeia do foodservice

1548
[tempo para leitura: 2 minutos]

Ao longo dos anos o Instituto Foodservice Brasil (IFB) vem marcando sua forte presença nas questões que envolvem o setor de alimentação fora do lar, se manifestando a favor de causas que defendam a melhoria da produtividade, eficiência e bem-estar social, em prol do desenvolvimento do setor e do país.

Criado por iniciativa de representantes das principais empresas do setor, o Instituto  Foodservice Brasil representa a união da cadeia de valor, buscando soluções para temas que impactam suas atuações no mercado de alimentação fora do lar.

O IFB representa Indústrias, Redes e Serviços do setor de Alimentação e Bebidas – de atuação nacional e internacional, com o objetivo de contribuir para o crescimento do mercado de forma sustentável, ética e formal. O Instituto é constituído por 40 empresas, que somando, faturam cerca de 63 bilhões de reais por ano, empregam mais de 220 mil colaboradores e representam mais 9.750 estabelecimentos que atendem o superior a 80 milhões de consumidores mensalmente.

Esta paralisação, nas operações rodoviárias, constitui neste momento um impacto altamente significativo ao País, atingindo diretamente o abastecimento de produtos essenciais para a sobrevivência da população. Devemos ressaltar que a cadeia do foodservice está presente em todo território nacional e tem sua distribuição baseada, principalmente, no transporte rodoviário. Sua paralisação tem afetado todas as suas operações, incluindo o atendimento de seus clientes, impedindo a manutenção da alta qualidade dos alimentos produzidos e servidos.

O foodservice tem executado uma tarefa de reorganização e redistribuição de produtos numa tentativa de poder atender seus clientes, bem como manter seus funcionários ativos, entretanto, o agravamento e a permanência da paralisação não permitem que esses esforços sejam suficientes, e já colocam em risco a continuidade das operações, assim como a renda e emprego de milhares de pessoas que dependem do setor.

O IFB expressa seu apoio ao manifesto pacífico dos profissionais envolvidos, entendendo que a reinvindicação da classe é justa e requer medidas urgentes para a manutenção das condições de mercado, por isso solicita a celeridade, além da garantia da ordem e segurança dos caminhoneiros e trabalhadores envolvidos.

De forma a contribuirmos, nos colocamos abertos ao diálogo.

     Marcelo Marinis
    Presidente do IFB

 

*Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui