O Boticário inaugura loja em novo formato em São Paulo

1979
[tempo para leitura: 3 minutos]

A rede O Boticário abrirá em São Paulo um novo formato de loja, inspirado em uma botica, como a que original a marca há 40 anos, localizada na Rua Saldanha Marinho, no centro de Curitiba O modelo chegará a São Paulo, na Avenida Moema 107. Ele já existe em shoppings do Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador e Fortaleza. A proposta é que seu principal canal de vendas também conte para o consumidor a história da marca e mostre o desenvolvimento dos produtos.

“Além de um ponto de vendas e de contato com o consumidor, queremos que nossas lojas revelem a alma do Boticário. Que elas expressem a essência característica da marca – a relação emocional com o consumidor e suas histórias. Para que cada um que passar por ela possa sair muito melhor do que quando entrou”, explicou André Farber, vice-presidente de franquias do Boticário.

Por meio de conteúdo com interatividade aliado a uma estética visual criada para conduzir o visitante às histórias da marca, o novo modelo chega para ser uma experiência complementar ao que as mais de 3.750 lojas da rede oferecem hoje. “Quando contamos tudo que há por trás da criação dos nossos produtos, trazemos o significado que, muitas vezes, vão ao encontro da história de vida das pessoas. E é isso que traz a conexão verdadeira da marca com seus consumidores. Então, planejamos esse espaço para que mais pessoas tenham acesso às nossas histórias. É como se abríssemos um pouco da nossa fábrica, dos bastidores do dia a dia do nosso trabalho para todos que visitarem essa loja”, disse Farber.

A identidade visual também é diferente. A ânfora, ícone da marca, está em um gradil criado exclusivamente para o novo projeto. No interior, o espaço é voltado para a possibilidade de experimentação de todo o portfólio da marca. A bancada de maquiagem é maior do que nas demais lojas, para convidar as consumidoras a testar as linhas Make B. e Intense.

A exposição da perfumaria prioriza os ingredientes, as matérias-primas e as técnicas de produção de cada uma das fragrâncias. O consumidor poderá conhecer, por exemplo, o processo artesanal do enfleurage, usado para a extração do óleo essencial do lírio, principal ingrediente da linha Lily. Ou ainda, saber como é armazenado o álcool vínico que dá origem ao Malbec.

“Trazemos para essa loja algumas das tecnologias mais inovadoras do varejo. Mas elas só estão lá porque nos ajudam a contar histórias. É um espaço onde a tecnologia deve ser sentida, não apenas vista. O Boticário é uma marca feita por pessoas, para pessoas. Essa proximidade, esse contato direto que as lojas nos permitem, continua sendo a grande estrela do nosso atendimento e algo que nos diferencia no varejo”, completa Farber.

Neste formato de loja o caixa deixa de ter um local fixo e as consultoras passam a centralizar o contato com a consumidora durante toda a experiência de compra, que é finalizada em um terminal de vendas individual. Pelo equipamento, a consultora também tem acesso a todas as informações do Clube Viva O Boticário, como histórico de compra e preferências de cada cliente, tornando o atendimento mais personalizado.

A mudança também libera mais espaço para áreas de experimentação. A bancada de caixa foi substituída por uma mesa de relacionamento, onde estão também as embalagens que finalizam as compras e as caixas de presente tão do Boticário.

O projeto é assinado pelo escritório de arquitetura be.bo, dos arquitetos cariocas Bel Lobo e Bob Neri.

O novo modelo de loja também traz ganhos em termos de sustentabilidade. O mobiliário modular exige menos intervenções com obras civis, reduzindo consideravelmente a produção de resíduos. Seu projeto prevê menos uso de acrílico e a otimização das necessidades de aço, alumínio e chapas de MDF. Toda a madeira utilizada na loja tem certificação FSC e a iluminação é feita 100% em LED, projetada de forma a criar um ambiente mais aconchegante com mais economia. A redução do consumo energético pode chegar a 20%, em média.

Além disso, a nova loja será um laboratório para testes de materiais alternativos mais sustentáveis, como tintas e vidros criados a partir de material reciclado. “Já avançamos muito ao longo dos últimos anos. Mas a busca por uma operação mais sustentável é constante. As lojas são o nosso principal ponto de contato com o consumidor. Por isso, elas têm um papel fundamental nesse processo, não apenas para a marca, mas para a mobilização da sociedade como um todo.”

Parte do material de papel e plástico para visual merchandising também está sendo substituído por telas multimídia. “Não tenho dúvidas de que o futuro do varejo passa por questões como a redução dos impactos e desperdício. Estamos estudando formas de ampliar essa alternativa para nossa rede”, disse Farber.

A nova loja também tem um espaço para recebimento de embalagens vazias. Chamado Boti Recicla, criado em 2006, ele é hoje um dos maiores do país para logística reversa, com quase 4 mil pontos de coleta, em todas as lojas das marcas do Grupo Boticário.

Os frascos dos produtos que foram usados são parte do processo de reciclagem do vidro utilizado para confecção dos frascos de botica antiga e outros elementos decorativos da nova loja

Com exclusividade para este modelo, a marca lança também uma ecobag especial, criada a partir de material reciclado, que prometer se transformar em objeto de desejo.

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta