Franquia Mestre-Cervejeiro.com inicia autoatendimento com cartão pré-pago

1185
[tempo para leitura: 2 minutos]

A rede de franquias Mestre-Cervejeiro.com criou um cartão de consumo pré-pago, que os clientes utilizam para se abastecer sozinhos nas torneiras de chope. O modelo está em funcionamento na nova loja da rede em um shopping na cidade de Vila Velha, no Espírito Santo. O formato foi escolhido pela companhia para retomar o crescimento, após um início de ano difícil.

A Mestre-Cervejeiro.com foi criada como um site de conteúdo pelo designer gráfico Daniel Wolff, em 2004. Em 2009, o hoje sommelier e juiz internacional de cervejas, abriu sua primeira loja de cervejas em Curitiba, no Paraná. Três anos depois, o modelo se tornou uma franquia.

O fundador da empresa viu o sistema de cartões de consumo pré-pagos e torneiras de chopp com autoatendimento nas cervejarias artesanais de Curitiba, como a Bodebrown, que acumula 19 prêmios mundiais e um faturamento de 15 milhões de reais. Exemplos também podem ser encontrados em São Paulo, como o Bar da Avareza, o bar do Urso, a C6 Burger e o Cerveja a Granel.

Diferente dos outros, o empresário deseja popularizar esse tipo atendimento, replicando nas 63 unidades da Mestre-Cervejeiro.com. “Temos uma base única de preferências do consumidor, o que muitas vezes uma loja de cervejas menor não possui. São dados competitivos”, afirmou Wolff.

Para utilizar o serviço, o cliente vai até o caixa e compra um cartão de consumo com créditos pré-pagos, no valor mínimo de 50 reais. Ele pode então se servir nas torneiras, que, em média, serão dez por loja. Ele pode conferir em uma tela as informações sobre a bebida e o preço por 100 ml e realiza a operação, dando os toques necessários, passando o cartão e retirando a quantidade pedida de chope, seja para tomar na hora ou levá-lo em garrafões apropriados, conhecidos como “growlers”. Ele pode levar o cartão de consumo para casa e recarregar quando desejar.

A empresa tem 3.500 rótulos de cervejas artesanais, nacionais ou importadas em seu portfólio, além de alguns produtos de fabricação própria. Nas lojas, ficam disponíveis entre 100 e 200 rótulos. Isso inclui os chopes nos barris, que cada franqueador decide quais colocar nas torneiras. A intenção é que o cardápio se renove toda semana.

Até o momento, o modelo tem dado certo. Na loja em Vila Velha, em apenas 21 dias de funcionamento, foram vendidos aproximadamente 300 cartões, com um crédito total de 22,5 mil reais (média de 75 reais por cartão). O faturamento das três semanas foi de 33,2 mil reais, em linha com o que havia sido previsto pela companhia.

De acordo com o Wolff, o vendedor não será abolido, mas transformado em sommelier. “Há muitos estilos de bebida. É fundamental ter alguém para tirar dúvidas e ajudar no processo. Por enquanto, mantivemos o número de funcionários que já praticamos nas unidades sem o novo esquema”, disse.

Para abrir uma unidade da Mestre-Cervejeiro.com com o autoatendimento por cartões, é necessário um investimento inicial de R$ 185 mil. O faturamento médio mensal é de R$ 40 mil, com taxa de lucratividade de 15 a 20% do valor. O prazo de retorno varia entre 18 e 24 meses.

*Informações retiradas do portal Exame

*Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui