Netfarma investe em Inteligência Artificial para alavancar as vendas

1028
[tempo para leitura: 2 minutos]

Com previsão de ter um crescimento de 60% no faturamento em 2018, a farmácia online Netfarma investirá em inovações tecnológicas para melhorar a experiência dos consumidores e, com isso, alavancar as vendas do e-commerce. Dentre as estratégias adotadas está a implantação de Inteligência Artificial, associada ao Big Data, nas versões desktop e mobile. A tecnologia foi adotada no final de 2017, o que gerou um aumento de 30% na conversão em vendas, amparado, sobretudo, na melhora do tráfego.

A ferramenta foi desenvolvida pela Biggy, empresa especializada em personalização e recomendação de produtos no e-commerce. A plataforma monitora o comportamento de navegação do consumidor dentro do site e oferece sugestões de produtos relacionados às suas buscas, cliques e compras, auxiliando o usuário em toda a sua jornada. “Por meio de machine learning e big data, conseguimos extrair esses dados e transformá-los em informação relevante para engajar clientes e ampliar as oportunidades de negócio do e-commerce”, explicou Alan Prando, CTO da Biggy.

Para Homero Romão Filho, CTO e CMO da Netfarma, ainda há muito espaço para crescer, uma vez que o segmento de saúde, cosméticos e perfumaria, setor no qual a empresa está inserido, corresponde a 4,5% do total de vendas no comércio eletrônico. “Estamos otimistas porque atuamos em um segmento que cresce no mundo. Além disso, a economia começa a reagir e vemos essa movimentação com bons olhos”, afirmou o executivo.

Para o próximo semestre, o e-commerce deve implementar uma ferramenta de Dynamic Pricing, que ajuda os varejistas online a responder em tempo real a mudanças no preço da concorrência, na demanda do produto e nas condições do mercado. Isso ajuda a melhorar a renda, as margens e a fidelidade do consumidor, permitindo, inclusive, monitorar a recorrência de compra desse cliente. Uma outra tecnologia é sobre previsibilidade de vendas, que permite monitorar a recorrência de compra dos clientes.

Deixe uma resposta