Empresas apostam em estratégias multicanais para alcançar liderança de mercado

577
[tempo para leitura: 3 minutos]

Muitas empresas estão apostando em estratégias multicanais para atingir a liderança de mercado em seus segmentos de atuação. Este tema foi debatido nesta quarta-feira durante o Latam Retail Show, o mais completo evento da América Latina voltado ao mercado varejista, que acontece até quinta-feira, dia 30, no Expo Center Norte, em São Paulo, e reúne importantes líderes, que, juntos, discutem como superar as barreiras dopresente e do futuro do varejo e consumo.

O painel Omni-canal ou a estratégia máster que emana da liderança teve a curadoria de Beth Furtado, Senior Managing Partner da Alia Marketing Decode; e os seguintes debatedores: Ludovico Brioschi, COO e cofundador da Amaro; Paulo Correa, CEO da C&A; e Sérgio Herz, CEO da Livraria Cultura/Fnac Brasil.

De acordo com Beth Furtado, as empresas precisam pensar nas seguintes práticas propulsoras: cliente em 1 º lugar, gestão da jornada como processo, integração de gestão cruzada, transparência 360º, maturidade on-line, domínio logístico, curadoria, liderança, mentalidade de digital e mudança cultural. “O que deve ser um todo é a organização, e não apenas um canal”, diz.

Ludovico Brioschi, COO e cofundador da Amaro, comentou um pouco sobre sua empresa de moda feminina e, para ele, os principais problemas das lojas deste setor estão ligados à ineficiência, ao tamanho das roupas e ao fato de algumas marcas serem desconhecidas. “Por isso nós fabricamos as peças e as vendemos diretamente para as clientes. Possuímos grande foco na área digital e sempre que pensamos em alguma novidade, temos em mente que é preciso que ela se encaixe no ambiente mobile, e não apenas no computador. Mesmo com todo o avanço digital, o e-commerce mundial ainda responde por apenas 4% das compras do varejo, 96% delas acontecem em lojas físicas”, afirma Brioschi.

Durante sua explanação, Paulo Correa, CEO da C&A, disse que o desafio constante da empresa é se relacionar cada vez mais com o cliente, estar mais próximo dele. “Nossas lojas têm uma presença física muito grande, no entanto, mais de 80% dos consumidores de moda buscam tendências nos canais on-line antes de comprarem em lojas físicas. Muitas fontes de inspiração também estão nas redes sociais, que viraram concorrentes das redes de televisão. Neste novo contexto, o comando passou para as mãos do cliente, ele decide como e quando; e as empresas precisam ter velocidade. Se o cliente viu uma peça de roupa hoje, as empresas precisam tê-la em suas lojas no mesmo instante”, analisa Correa.

Para Sérgio Herz, CEO da Livraria Cultura/Fnac Brasil, o varejo encontra-se em seu ponto mais alto de transformação. Nos Estados Unidos, apenas no ano passado 7 mil lojas foram fechadas, e o número de visitantes em pontos físicos vem caindo desde 2013; enquanto na China 30% das compras já são feitas pelo e-commerce. “Não vejo o apocalipse das lojas físicas, mas é preciso mudar. No nosso caso, começamos a vender pela internet em 1995, com entrega e troca em lojas e base única de clientes. De lá para cá nossa estrutura mudou bastante, tanto em termos de tecnologia quanto inovação. Temos, inclusive, um laboratório no Rio de Janeiro especializado em inteligência aplicada. Hoje o bem mais precioso de uma pessoa é o tempo livre, e precisamos brigar por este tempo. Para isso, precisamos entendê-la, ajudá-la a decidir e se colocar no lugar dela”, conclui Herz.

O Latam Retail Show acontecerá até 30 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo, e reúne importantes líderes, que, juntos, discutirão como superar as barreiras do presente e do futuro do varejo e consumo. Neste ano, a temática central é “As transformações do ecossistema de negócios com resultados” eabordará todas as mudanças pelas quais a cadeia de negócios vem passando, a evolução no perfil do consumidor e a necessidade em haver um equilíbrio nas relações tanto no varejo quanto na indústria, shopping centers, e-commerce, foodservice, franquias e em diversas outras áreas.

Dividido em congresso e exposição, o Latam Retail Show começou como Fórum Latino-americano do Varejo, por 18 anos, e há quatro passou a ser realizado no seu formato atual. “Este é um evento para todos os perfis de varejistas, pois congrega conteúdo de altíssima qualidade, com a excelência com que é realizado e cria oportunidades para a relação de negócios. O Latam Retail Show é formado por tomadores de decisão, onde concorrente não é concorrente”, afirma Marcelo Toledo, CEO da GS&MD, empresa do grupo GS& Gouvêa de Souza, organizador do evento.

(Foto: Terassan Fotografia​)

Deixe uma resposta