Envelhecimento da população estimula fortalecimento de novos modelos de negócio

269
[tempo para leitura: 2 minutos]

Projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que, daqui a 21 anos, a quantidade de idosos com mais de 65 anos será superior ao de crianças de até 14 anos. A trajetória de envelhecimento segue até 2060, quando o percentual de pessoas na terceira idade saltar dos atuais 9,2% para 25,5%. Ou seja, 1 a cada 4 brasileiros será idoso.

No entanto, no prazo de dois anos, o número de pessoas na terceira idade que precisarão de cuidados deve aumentar de 30% a 50%. Este progressivo envelhecimento da população estimula a criação de novos modelos de negócio, e um deles são as instituições de longa permanência (ILPI).

A necessidade de buscar um espaço que pudesse acolher e oferecer cuidados ao avô da médica Joyce Duarte Caseiro foi motivador para o nascimento da primeira rede de residenciais sênior do Brasil, a Terça da Serra. A primeira unidade começou em 2015, em Jaguariúna, no interior de São Paulo, e após três anos a rede já possui 14 unidades em funcionamento entre próprias e franquias. No primeiro semestre de 2018, o faturamento foi de R$ 3,411 milhões, sendo que a projeção para o final do ano é de R$ 8,727 milhões, o dobro de 2017.

“A missão da Terça da Serra é oferecer hospedagem e cuidados de alto padrão para idosos de forma humanizada, respeitando a individualidade dos hóspedes e dessa maneira melhorar a qualidade de vida. O residencial sênior é exemplo na relação e cuidado com os hóspedes”.

A Terça da Serra adota como critérios casas padronizadas e realiza auditorias internas semanalmente nas unidades para supervisionar se todos os procedimentos padrões estão sendo respeitados. “Somos um residencial baseado na tendência e pontos fortes de bons hotéis e pousadas, mas com a retaguarda de um hospital. Procuramos criar um espaço acolhedor e familiar para abrigar o idoso, por isso quebramos aquela imagem de asilo frio e escuro. Investimos na ideia de propor um espaço claro, arejado, com móveis novos, sempre amparados por protocolos e cuidados de saúde do idoso”, explica o sócio da rede Pedro Moraes.

O plano de expansão prevê que no prazo de cinco anos a rede tenha 50 unidades em funcionamento. Para alcançar esta marca, a rede fez um mapeamento das 50 principais cidades do estado de São Paulo para desenvolver novas parcerias e franquias, de acordo com Pedro Moraes. “A ideia da expansão por franquias surgiu logo que criamos a segunda unidade da rede. Nós tivemos o cuidado de padronizar e fazer protocolos para que pudéssemos crescer como uma rede própria. Com o sucesso da nossa primeira expansão de unidade, vários empreendedores interessados começaram a fazer contato e perguntar se podíamos ensiná-los a fazer um residencial para idosos. O que na hora nos pareceu um pouco errado de passar nosso conhecimento para alguém e criar concorrentes, veio com o insight de vender este conhecimento e aumentar o alcance da nossa marca”.

Desde o ano de 2017, a marca passou a fazer parte da Associação Brasileira de Franchising e fazer a cobertura em oito cidades. Nos próximos meses, mais 11 municípios terão unidades da Terça da Serra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui