O fator exponencial no franchising

0
813

Desde 2010, o Grupo BITTENCOURT, por ocasião do Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios, realiza um estudo inédito com o objetivo de dar luz a temas relevantes para o desenvolvimento das empresas do setor de franquias brasileiro.

Em 2018, por meio de literaturas e estudo de pesquisas realizadas sobre o comportamento das empresas, reunimos e adaptamos para o universo das franquias uma série de novas posturas e formas de desenvolver os negócios das companhias, que tendem a ter crescimento superior no mercado seja nacional ou global. A ideia era entender como traçar caminhos para o crescimento acelerado e identificar aquelas empresas que já possuem uma cultura voltada ao crescimento exponencial.

Algumas soluções práticas adotadas pelas empresas que mais crescem no mundo serviram de inspiração para a construção do estudo que teve o propósito de motivar as redes de franquia a abrirem mão do modelo tradicional de expansão e crescimento para entrarem de vez na era da exponencialidade. Era essa que permite além da escalabilidade dos negócios também o ganho de eficiência operacional e de custos, fazendo tudo mais rápido e melhor.

Foram avaliados aspectos como:

  • Propósito Transformador: empresas que têm um propósito que realmente gera impacto na vida das pessoas e nos mercados em que atua;
  • Proposta de Valor: O que a franqueadora considera que a torna única em sua abordagem ao mercado e sua adequação às necessidades do consumidor atual;
  • Gestão e Formação de Equipes: Como estão estruturadas as equipes e a gestão na franqueadora sob aspectos como sinergia entre diferentes gerações, programas de inclusão e diversidade, terceirização e autonomia das equipes;
  • Ativos – Posse x Acesso: empresas que já adotaram o compartilhamento de ativos físicos e priorizam o acesso em detrimento da posse desses ativos na franqueadora;
  • Capacidade de Adaptação e Inovação nos Negócios: empresas que tem processos voltados à inovação e que estimulam o compartilhamento de ideias e boas práticas na rede;
  • Engajamento e Senso de Comunidade: empresas que criam um modelo eficaz de interação com a comunidade com que se relaciona – sejam funcionários, clientes ou franqueados;
  • Dashboards e Acompanhamento de Desempenho: empresas que utilizam a tecnologia para medição e acompanhamento próximo, como forma de se auto avaliar e auto gerir;
  • Transformação Digital e Adoção de Novas tecnologias: empresas que adotam algumas tecnologias quando ainda não estão totalmente difundidas para então ganhar eficiência.

Conseguimos mostrar por meio do estudo que os mais diversos tipos e portes de empresas podem se beneficiar das novas formas de se pensar a realidade que se impõe a todos nessa nova era. E, por meio dele, também conseguimos identificar o “fator de exponencialidade” nas empresas franqueadoras. Cada uma das respostas concedidas somavam pontos para a construção desse fator. Quanto mais próximas estavam de atuarem conforme as práticas das organizações com características exponenciais, maior a pontuação alcançada.

No franchising o fator de exponencialidade é de 56%, numa escala de 0 a 100%.

Pelo que vimos no estudo, parte das empresas franqueadoras já incorporaram práticas, posturas e tecnologias que as caracterizam como empresas com cultura para crescerem de forma exponencial, para outras, ainda há um caminho a ser percorrido até que adotem efetivamente ações que possam torná-las inovadoras, alavancando os negócios para que cresçam mais e mais rápido.

O franchising tem características que por si só já dotam o sistema de vantagens frente a outros modelos de expansão no que tange a ganho de capilaridade e velocidade de ocupação de mercado.

No entanto, cabe às empresas atuantes no sistema de franquias reverem conceitos além de realizarem uma grande reflexão sobre o quão distante estão das características de empresas exponenciais e como vão se posicionar agora e no futuro, em relação a um Propósito Transformador Massivo, à  adoção de tecnologias, aos seus ativos, à equipe, à  inserção no digital e à interação com a comunidade e como engajá-los em prol de seu objetivo maior.

Embora as grandes organizações possam ter dificuldades para se adaptar estruturalmente a essa nova era, elas ainda possuem uma vantagem fundamental: o capital intelectual. As grandes empresas não ficaram grandes por acaso. A maior parte dos grandes cérebros do mundo está conduzindo essas organizações e eles têm a capacidade de encontrar maneiras surpreendentes para capturar ou adaptar os princípios das organizações exponenciais. Só é preciso ter visão e vontade.

 

Nota:

Quer saber como foi a 9ª edição do Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias & Negócios? Acesse o link: https://goo.gl/JDGL9F e veja as fotos do evento que ocorreu nos dias 2 e 3 de outubro e participe da 10ª edição em 2019!

*Imagem reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui