Microsoft desafia Amazon em parceria com maior supermercado dos EUA

1191
[tempo para leitura: 2 minutos]

Kroger e Microsoft estão unindo forças para trazer a facilidade do comércio online para os supermercados tradicionais. A Kroger, maior rede de supermercados dos EUA, reformou duas unidades para testar as novidades, que incluem “prateleiras digitais” que mostram anúncios e alteram preços automaticamente, além de sensores que monitoram os produtos e ajudam o público a passar mais rápido pelos corredores.

A Kroger pode lançar o sistema baseado em nuvem desenvolvido com a Microsoft em todas as suas 2.780 lojas.

A aliança é mais um exemplo do uso de tecnologias de dados por varejistas americanas para melhorar a rotina de comprar comida — e para enfrentar a Amazon.com, que está empenhada em ampliar sua participação no varejo de alimentos dos EUA, que movimenta US$ 860 bilhões.

Para a Microsoft, é uma oportunidade de expandir o negócio de nuvem, que está atrás do da Amazon, mas conquistou clientes como Kroger e Walmart, que se recusam a enriquecer ainda mais o fundador da gigante online, Jeff Bezos. A Kroger espera vender a tecnologia para outras varejistas, criando uma nova fonte de receita, com margem de lucro maior do que a obtida na venda de alimentos.

“Juntos podemos criar algo que não poderíamos separadamente”, disse o presidente da Kroger, Rodney McMullen, ao lado do presidente da Microsoft, Satya Nadella, durante entrevista coletiva.

Nas duas lojas que participam dos testes, localizadas perto das sedes da Kroger e da Microsoft, em Cincinnati e Redmond, respectivamente, consumidores que usam o aplicativo de autoatendimento da Kroger são guiados para encontrar os itens de sua lista de compras. Quando chegam ao corredor, a prateleira digital mostra um ícone personalizado abaixo do produto escolhido. No teto, há dispositivos que processam dados e monitoram itens que faltam. Sensores alertam funcionários se a temperatura das geladeiras esquentar.

As prateleiras inteligentes acendem e ajudam funcionários a recolher itens encomendados pelo serviço online que permite ao consumidor receber as compras no estacionamento da loja. Segundo as empresas, esse sistema reduz pela metade o tempo gasto para processar uma encomenda.

O software de inteligência artificial da Microsoft prevê idade e sexo do consumidor, ajudando empresas como Procter & Gamble, PepsiCo e Kraft Heinz a adaptar anúncios a perfis específicos. A Kroger também pretende ajustar produtos e anúncios a preferências dos usuários, como alimentos sem glúten, se tiver permissão. O mix de publicidade pode incluir trailers de filmes.

A Kroger não é a primeira grande varejista a colocar dados valiosos e tarefas nas mãos da divisão de nuvem Azure, da Microsoft. Macy’s, Walmart e a rede europeia de supermercados Ahold Delhaize também escalaram a Microsoft, preferindo não comprar tecnologia crítica da Amazon.

Um aspecto único da parceira é o plano da Kroger de vender a tecnologia a outras varejistas, muitas das quais já estão em fase de testes. A receita poderia ajudar a Kroger a atingir a meta de gerar US$ 400 milhões adicionais em lucro operacional até o fim de 2020. O plano inclui reformar lojas, alterar a oferta de produtos e fortalecer as iniciativas online. Os investimentos em tecnologia da empresa incluem galpões operados por robôs e entrega automática de alimentos.

Fonte: Bloomberg

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta