Inspiração, inovação e velocidade. Palavras de ordem no foodservice em 2019

1756
[tempo para leitura: 3 minutos]

O ano de 2019 começando, consolidada a mudança presidencial no país, economistas indicando boas perspectivas e a máxima: “o mercado de foodservice é o último a entrar na crise e é o primeiro a sair dela” torna o nosso setor bastante otimista com todas essas mudanças.  Assim, a ordem é planejar a curto e médio prazo, mover-se com rapidez, analisar e corrigir a rota, retroalimentando os negócios e mantendo o consumidor no centro de sua estratégia.

Um ponto importante a ser destacado é que o mercado de foodservice está favorável a quem atua para atender públicos e preferências específicas. Nesse contexto startups, pequenos negócios, redes pouco numerosas e negócios independentes liderados ou não por chefs se sobressaem e isso é absolutamente positivo, pois entrega aos consumidores o que desejam e ao mesmo tempo permite aos grandes analisarem esses movimentos quase que como laboratórios e absorver as tendências que de fato se consolidarem. Essa é a lógica, o charme e mágica do foodservice.

Retail Trends - Pós NRF

A primeira feira relevante do setor no ano é a Winter Fancy Food Show San Francisco de 13 a 15 de janeiro e eles divulgam o reforço às tendências que vimos em 2017 e 2018 dentre elas, alimentos que oferecem benefícios para a saúde, sabores globais e sustentabilidade como fatores muito importantes na tomada de decisão do consumidor.

Dentre essas tendências cabe ressaltar a evolução da alimentação baseada em plantas que segue atendendo a crescente demanda de veganos e vegetarianos e agora além do alimento se preocupam com toda cadeia até esse produto chegar ao seu prato, ou seja, o conceito blockchain desenvolvido de forma acelerada em outras indústrias, bate à porta e pressiona a evolução no mercado de foodservice, transparência é a palavra de ordem! Em embalagens, processos, certificações em tudo. O aproveitamento integral dos alimentos incluindo cascas e outras partes que não eram comumente utilizadas também ganham destaque.

Vejam que interessante… Além dos sabores asiáticos e latinos os sabores da África entram na lista dos favoritos dentre os consumidores mais jovens (gerações Y e Z). Curiosidade pelo novo, alimentos menos processados, desejo de se aventurar… e por falar em aventura… Cannabis ganha espaço em snacks, guloseimas (balas, pirulitos, chocolates), cafés, chás, cervejas, massas e até mesmo em receitas e coquetéis, crescendo o seu consumo nos estados americanos em que não é ilegal. A caminho da NRF2019 em NY na próxima semana pretendo visitar a MedMen uma loja especializada em cannabis e contarei mais sobre esse movimento na terra do Tio Sam.

Mandioca ganha o mundo! Alimento sem glúten, altamente proteico, de origem vegetal e cá entre nós… muito saboroso se torna o queridinho nesse mercado based plant. Fermentados anteriormente tímidos tomam corpo. Juventude, beleza, longevidade… é o que as pessoas da geração X e baby boomers desejam e o colágeno é o ingrediente que promete esse benefício, então crescem os lançamentos associados. E o último destaque é para a reinvenção do sorvete, um mercado pujante no Brasil, como tendência internacional cresce na eliminação ou substituição do leite por ingredientes de origem vegetal. Em São Paulo, no mês de dezembro, foi lançada a marca LOWKO cuja promessa é a oferta de sorvetes de baixas calorias com opções com menos de 90 calorias por porção.

Traduzir as principais tendências, aplica-las ao negócio e criar um modelo de comunicação fluído junto aos consumidores. Esse é o nome do jogo, essa é a missão dos bons gestores de foodservice. Então… façam o básico perfeito para que tenham tempo de se concentrar no que realmente faz a diferença, encanta e fideliza os seus clientes.

*Imagem reprodução

1 COMENTÁRIO

  1. kkkkkkkkkkkkkkk. só a inicial já mostrou o Lado PODRE dessa comentarista. comemorando uma”mudança”de presidente só disse tudo. era melhor nem ter escrito o artigo.

Deixe uma resposta