Flex do Brasil prevê um cenário melhor para o mercado de colchões

269
[tempo para leitura: 3 minutos]

O momento é especial para a Flex do Brasil. A fabricante de colchões de alto padrão completou 18 anos de atividades com bons resultados e previsão de crescimento. Após registrar em 2018 um aumento de 8% na receita, a empresa projeta para este ano um avanço de 16%. A expectativa é de uma curva ascendente prolongada. “O país já esboçou uma reação. A tendência é o início de um novo ciclo positivo para o mercado”, avalia Edson Ayub, diretor-geral da Flex do Brasil.

Estatísticas apontam que as vendas de colchões e camas no Brasil recuaram em cerca de 4 milhões de peças entre 2012 e 2017. “Existe demanda reprimida. A recuperação da economia nos permitirá atendê-la”, afirma Ayub. Conforme previsão do executivo, o reaquecimento estimulará ainda mais a procura por produtos de desempenho superior. Essa é uma inclinação que já tem beneficiado a empresa.

“Os brasileiros cada vez mais se conscientizam de que dormir bem é fundamental para uma vida saudável”, diz Ayub. Diversos estudos, a exemplo daqueles realizados pelo Centro de Investigação do Sono (CIS) do Flex Bedding Group, grupo espanhol ao qual a Flex do Brasil é afiliada, já comprovaram: o repouso adequado revigora o corpo e a mente, aumentando a resistência do organismo a doenças e diminuindo a propensão a problemas emocionais como estresse, ansiedade e depressão.

No balanço de 2018 da Flex, a valorização do colchão pelos consumidores refletiu, por exemplo, na alta de 25% das vendas de linhas como a Simmons Bamboo Memosense e a Simmons BeautySleep. Na primeira, os colchões são revestidos por fibras naturais de bambu, oferecendo propriedades bactericidas e hipoalergênicas. Na segunda, o revestimento dos colchões com fios de seda proporciona toque similar ao da lingerie e função termorreguladora. “Os colchões com tecidos funcionais são cada vez mais procurados. O potencial é enorme”, comenta Ayub.

Para conhecer ainda mais o público e atender aos seus anseios, a Flex encomendou pesquisas de mercado quantitativas e qualitativas ao Instituto QualiBest, enfocando principalmente consumidores que adquiriram um colchão nos últimos seis meses ou que pretendem comprar um exemplar em breve.

Renovação de linhas e lançamentos

A Flex do Brasil este ano focará todos seus esforços em plano agressivo de lançamentos de produtos. Os resultados das pesquisas apoiaram uma renovação de linhas que a empresa pretende realizar neste ano. Doze projetos serão lançados, todos com atributos especiais e alta tecnologia aplicada – entre eles colchões com bloco de espuma viscoelástica, com bloco de látex e novos modelos da linha Simmons Wellness BioCeramics, cujos colchões oferecem benefícios ao sistema circulatório e à pele, aliados a outros efeitos terapêuticos.

Além da Simmons, grife que lidera o mercado nacional de colchões premium e de alto valor entre os mais exigentes consumidores e operadores hoteleiros, a Flex do Brasil também atua com as marcas Flex e Epeda. A adoção das melhores práticas permeia toda a operação. Todos os resíduos industriais são encaminhados para a reciclagem. Em 2018, quase 260 toneladas de materiais tiveram esse destino.

Visando suportar todas as estratégias de mercado para este ano, a Flex do Brasil está investindo algo em torno de R$ 2 milhões em equipamentos no seu complexo fabril em Limeira. Isso inclui máquina para enrolar colchões de mola, que depois são embalados a vácuo em filme plástico. Os produtos serão encontrados inicialmente na rede de móveis Etna. “É algo inovador. O consumidor pode comprar o colchão, colocá-lo no carro e levá-lo para casa no ato da compra”, ilustra Ayub.

O diretor-geral da Flex do Brasil destaca ainda que o planejamento para 2019 será complementado por campanhas de divulgação. “Ampliaremos em 60% a verba de marketing direto. Os focos serão as mídias digitais e as ações junto ao trade, nos pontos de venda”, descreve Ayub. “Queremos mostrar de forma cada vez mais clara que nossos produtos são de classe internacional. Eles garantem mais conforto e um sono reparador. Em outras palavras, garantem mais qualidade de vida”.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta