74% dos consumidores brasileiros preferem a compra online

701
[tempo para leitura: 2 minutos]

Agilidade, comodidade, melhores preços e condições. É por esses e outros motivos que 82% dos consumidores brasileiros com acesso à internet já se renderam às compras online. E ao que tudo indica, essa já se tornou a melhor opção para grande parte das pessoas. Segundo levantamento realizado pelo NZN Intelligence, 74% dos consumidores preferem a modalidade online em relação às compras realizadas em lojas físicas.

O estudo também aponta que, para os 26% que preferem a ir até o estabelecimento, alguns fatores ainda impedem que a modalidade online seja a eleita. A falta de confiança para informar o número do cartão e dados pessoais é o primeiro motivo citado por essa parcela de entrevistados, o que significa 40% deste grupo. Na sequência, aparecem o medo de não receber o item adquirido (25%), a possível enganação em relação ao pagamento (10%) e, por fim, o fato de nunca ter encontrado preços bons de verdade (7,5%).

Jornada de compra

Para aqueles que procuram um item pela internet, a aquisição nem sempre acontece imediatamente após uma ótima promoção. Para saber se a loja é confiável, 82% dos brasileiros afirmam consultar a reputação do e-commerce em plataformas de reclamação, como Reclame Aqui e Consumidor. Pesquisar em vários sites antes de realizar uma compra também é uma prática adotada por 81% dos respondentes – que preferem investir um tempo em buscas antes de adquirir um item online. Já para 12%, a transação acontece sempre no mesmo e-commerce, considerado de confiança.

Quando o assunto é a melhor condição de compra, os consumidores contam com a ajuda de algumas ferramentas que auxiliam no desafio de encontrar preços baixos e bons produtos. Para a busca, metade dos entrevistados dizem utilizar primeiramente as opções oferecidas no Google. Já 40%, afirmam usar os recursos oferecidos por ferramentas de ofertas, como Buscapé e Zoom, para localizar as condições mais vantajosas.

Obter referência com especialistas no assunto é a saída para 22% das pessoas — que procuram a indicação de itens em sites de conteúdo. Essas três opções de procura deixam para trás as “redes sociais”, com 11% das escolhas, e a “consideração de amigos e familiares”, que aparece com apenas 10% das menções.

Frequência e preferência

A frequência de compras online também é um fator importante, principalmente para os e-commerces, que avaliam a retenção de seus clientes quando um novo processo de aquisição é realizado.

Segundo os dados analisados, 37% dos consumidores ouvidos afirmam que a compra online é uma realidade mensal. Outros 27% adquirem produtos nessa modalidade pelo menos uma vez a cada três meses, e 15% dizem optar por esse tipo de compra uma vez a cada seis meses. Enquanto isso, para 10% a realidade é outra: quase nunca recorrem a lojas online.

O levantamento ainda apontou as cinco categorias de produtos que os consumidores mais desejam adquirir pela internet. Na liderança, aparece a categoria eletrônicos (computadores, smartphones e tablets), seguida por hardware e games (placa de vídeo, processador, console e jogos). Na sequência, surgem roupas e acessórios, viagens (passagem aérea, reserva de hotel etc) e eletrodomésticos e utensílios domésticos.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta