A incrível fábrica de lojas de chocolates!

2300
[tempo para leitura: 3 minutos]

Passada a páscoa, a indústria e o comércio divulgaram os resultados das suas vendas. Este ano elas aumentaram 1,29%, em comparação com a mesma data comemorativa do ano passado. Em 2018, as vendas recuaram 0,34%, segundo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL) e Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Este resultado é um alento para o varejo começar a dar sinais mais sólidos de recuperação, mas não o suficiente para a retomada ao patamar de crescimento anterior a recessão econômica. A Páscoa representa o primeiro grande evento de consumo do ano.

Os produtos mais procurados nesta Páscoa foram os tradicionais ovos de chocolates industrializados (61%), caixas de bombons (50%), ovos de páscoa artesanais e caseiros (38%), barras de chocolate industrializadas (33%) e artesanais (25%), colombas pascoais (13%) e bebidas, como vinho (13%).

Apesar do pequeno aumento nas vendas este ano, uma fabricante de chocolates tem demonstrado grande otimismo com o futuro do país, apostando num ousado projeto de expansão de grandes lojas em shopping centers – A Cacau Show Megastore.

Tudo iniciou em novembro de 2017, quando Alexandre Costa, fundador e presidente da Cacau Show, teve a iniciativa de montar uma loja dentro de sua imensa fábrica na cidade de Itapevi-SP, nas margens da Rodovia Castelo Branco. Mais que uma loja de fábrica, o projeto contemplava uma megastore de 2 mil metros quadrados que consumiu investimentos de 7 milhões de reais e com capacidade para receber até mil visitantes por dia. Mais da metade do espaço é ocupado por um miniparque temático, o Cacau Parque. Na entrada, um carrossel com sete metros de altura. Uma árvore e um urso falantes cumprimentam aqueles que chegam. Um vagão de trem se revela um cinema para dezesseis pessoas. As cadeiras se mexem e há simulação de neve. A experiência sensorial proporcionada ao consumidor encanta a todos. A loja fez tanto sucesso que despertou o interesse de expandir este conceito em outros cantos do Brasil.

Foi assim que em agosto de 2018, num espaço de 450m²e investimentos de R$ 2 milhões, dentro de um dos principais shoppings de São Paulo – o Morumbi Shopping, numa parceria com a Multiplan, foi inaugurada a segunda loja dentro do conceito iniciado na fábrica, agora adaptado para uma área menor, mas mantendo toda a magia e passando a experiência da marca para os consumidores de todas as idades. Nesta unidade, entre outras atrações, existe um palco de shows de jazz gratuitos. Um setor destinado aos produtos infantis hospeda um teatro de fantoches. Há ainda o chamado Cacau Lab, onde profissionais ensinam o público a fazer temperagem do chocolate e outros truques. Em algumas noites, Alexandre Costa dá aulas por lá.

Novamente o sucesso se repetiu e projetou a marca Cacau Show a um novo patamar, antes uma marca de apelo mais popular para uma certa premiunização, atraindo um público que antes não frequentava suas lojas. A partir daí, animados com a resposta do público, fecharam acordo com a rede de shoppings Multiplan para uma sequência de lojas e desde então vem inaugurando unidades numa velocidade impressionante.  Foram inauguradas lojas em São Caetano, Jundiaí, Porto Alegre, no Shopping Anália Franco na capital paulista e pretendem inaugurar outras 25 unidades nos próximos meses. A meta é abrir pelo menos uma megaloja em cada cidade de grande porte no país. No alvo estão shoppings que atendem as classes A e B.

A estratégia das megalojas segue a parte do projeto de expansão da Cacau Show. Hoje, a rede que completou 30 anos de existência recentemente, conta com 2200 pontos de vendas via franquias e pretendem chegar nos próximos anos a 4 mil unidades. No ano passado inauguraram 206 novos pontos de venda e a empresa faturou R$ 3,9 bilhões, 20% mais do que em 2017. A Cacau Show é a segunda marca de chocolate mais vendida no país, com 9,6% de participação de mercado.

A Cacau Show é ou não é uma incrível fábrica de abertura de lojas de chocolates?

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta