Cia. Hering registra crescimento do lucro líquido de 36%

1158
[tempo para leitura: 3 minutos]

A Cia. Hering encerrou o primeiro trimestre de 2019 com uma receita bruta de R$ 437,8 milhões, resultado 7,9% superior ao apresentado no mesmo período do ano passado, em razão da performance positiva em todos os canais da rede. De acordo com o balanço divulgado no final da semana passada, a companhia alcançou R$ 162,3 milhões no lucro bruto, aumento de 2,6 pp na margem bruta e R$ 46,7 no lucro líquido.

Já o EBITDA do 1T19 atingiu R$ 57 milhões, representando um aumento de 25,9%, com margem de 15,3%, sobre o mesmo trimestre de 2018.

Um dos focos prioritários de investimentos da Cia. Hering – a omnicanalidade – alcançou avanços importantes no período. Além de concluir a integração entre os canais físicos e digitais em 100% das lojas próprias no ano passado, a companhia expandiu o modelo para 103 lojas franqueadas no 1T19 e pretende ampliar esta conexão para a totalidade da rede até o fim de 2019.

Por meio da omnicanalidade, a Cia. Hering garante a melhoria na experiência de compra, reduzindo a ruptura e ampliando a eficiência na gestão interna da loja com consultas e controle de estoque em tempo real. Esta iniciativa a coloca na vanguarda do desenvolvimento desse modelo de negócios no Brasil.

No trimestre, a empresa finalizou a construção da infraestrutura da plataforma interna de CRM, o que permitirá, ao longo do ano, incrementar o relacionamento junto aos consumidores, de modo personalizado e automatizado, com base em inteligência artificial.

Concluído no fim do ano passado, o Portal Conecta, plataforma B2B da Cia. Hering, seguiu inserido na estratégia de digitalização dos canais da empresa. Por meio deste recurso, a companhia estreitou a conexão com os clientes multimarcas e franqueados, uma vez que vem propiciando a melhora na produtividade e a ampliação dos serviços a partir da personalização das ofertas e da recomendação de compra. Hoje, 100% dos representantes comerciais e cerca de 35% da base de clientes multimarcas já realizam suas transações por meio desta ferramenta.

Outro foco de investimentos foi o avanço no ciclo de reformas nas lojas da Hering Store, que compreende melhorias importantes para o ponto de venda, como a disponibilidade de mais espaços para exposição de produtos e aumento da flexibilidade de eventuais ajustes de layout. Até o fim do primeiro trimestre, 52 lojas foram remodeladas e a empresa espera acelerar este processo ao longo do ano.

Além dessas áreas, a Cia. Hering concentrou os investimentos – que totalizaram R$ 9,3 milhões no trimestre – em evoluções no parque industrial e automatização de processos logísticos.

Canais de venda

As vendas das lojas próprias acumularam R$ 73,6 milhões, o que corresponde a uma elevação de 14,4% sobre o 1T18, impactada pelo aumento da produtividade por metro quadrado. Já em relação às franquias, estas alcançaram R$ 154,8 milhões, 14,8% acima do mesmo período do ano anterior, explicado pelo desempenho das vendas do showroom da coleção de outono e de parte do volume faturado de inverno.

No canal multimarcas, que tem sido revitalizado pela Cia. Hering, as vendas representaram um incremento de 0,9%, em virtude da maior ativação de clientes. A empresa também prepara uma evolução no modelo de relacionamento comercial, além da ampliação de ferramentas de trade marketing a serem implementadas ao longo do próximo trimestre.

No canal e-commerce destaca-se o crescimento de 31,2% nas vendas, justificado pelo aumento do fluxo nas plataformas e pelo fortalecimento dos investimentos em marketing.

A Cia. Hering encerrou o 1T19 com 740 lojas, 10.665 varejistas multimarcas e cinco webstores. Seguindo com a estratégia de sanear a rede de lojas, de forma a manter os altos níveis de performance e a saúde de toda a rede, foram encerradas 22 lojas e inaugurado um Espaço Hering (Outlet).

Investimento em marketing

Durante o período, a companhia permaneceu investindo em marketing, com a estratégia de ampliar o leque de mídia para além dos meios tradicionais. Como destaque, a Hering intensificou suas ações de branding focadas em dialogar com o público jovem e a construir lembranças de marca. Neste sentido, lançou a coleção cápsula “É assim que eu vou no Carnaval”, patrocinou o Camarote Salvador e diversos blocos de São Paulo. Também realizou collabs com Guaraná Antarctica e com a influenciadora digital Camila Coutinho.

A empresa permanece focada em seu “core business” e em fortalecer o lifestyle básico, de modo a ampliar o desejo de compra das suas marcas, oferecer produtos e serviços com qualidade diferenciada, tendo no jeans a categoria protagonista, sempre associado às tendências de conforto e funcionalidade.

Geração de caixa

A companhia encerrou o primeiro trimestre de 2019 com a geração de R$ 72 milhões de caixa livre, valor R$ 20,7 milhões inferior ao 1T18, por conta do maior investimento em capital de giro devido ao crescimento do negócio. Nos três primeiros meses do ano, o retorno sobre capital investido da Cia. Hering foi de 23,3%, o que indica uma alta de 2,4 p.p., comparado com os mesmos meses de 2018, justificada pela melhora do resultado operacional da empresa e pelo controle do capital investido nos últimos 12 meses.

A companhia segue focada na cultura empreendedora e varejista, no encorajamento do risco, no engajamento da rede, na inovação da matriz de produtos, na melhora da experiência de compra e na busca contínua pela evolução dos resultados.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta