Painel da NRA Show aborda a concorrência e o delivery no foodservice

88
[tempo para leitura: 2 minutos]

A NRA Show, mais importante evento de foodservice do mundo, recebeu um painel sobre as mudanças de comportamento do consumidor. Randy Edeker, chairman, presidente e CEO da Hy-Vee Inc., empresa baseada em Iowa, recordou um cliente que recentemente lhe apresentou uma missão complexa – que representa os desejos de muitos dos consumidores de hoje: “Eu quero que você seja o que eu quero quando eu preciso de você”, contou Edeker, lembrando o que a mulher lhe disse. “Se você não puder ser, eu vou para outro lugar.”

O requisito de ser ágil e sempre em evolução é fundamental para o futuro do foodservice. E, cada vez mais, essa agilidade vem na forma de restaurantes que pensam como mercearias e c-stores (lojas de conveniência) e vice-versa, concordaram os participantes do painel.

Moderado por Dawn Sweeney, presidente e CEO da National Restaurant Association, outros palestrantes que fizeram parte do painel para discutir as mudanças nas demandas dos consumidores e tendências emergentes foram: John Cywinski, presidente da Applebee’s Bar & Grill; Chris Gheysens, presidente e diretor executivo da Wawa; e Tim McEnery, CEO da Cooper Hawk Winery and Restaurants.

“Aqui todos nós competimos para compartilhar um estômago”, disse Cywinski. “O que está vindo de Hy-Vee e Wawa, almoço no café da manhã, jantar e tarde da noite, é impressionante e nós não levamos isso na brincadeira. Isso dificulta as coisas para nós quando queremos passar de 2 para 3% de crescimento anual.”

O cenário continua ficando mais difícil, com até mesmo lojas de conveniência testando o uso de terceiros para a realização de entregas como outras forma de conveniência. “Fomos bem sucedidos com a entrega”, disse Gheysens. “Estamos entregando bem em áreas de comércio onde não temos lojas.”

Enquanto isso, Applebees espera que seu negócio externo represente um quarto de todas as vendas em três anos. Mas há apenas um problema: os franqueados precisam conseguir ganhar dinheiro com as entregas de pedidos, disse Cywinski. “O atual modelo econômico não é sustentável da maneira como é montado”, disse ele. “Precisa evoluir.”

Se os clientes do futuro receberão a maior parte de suas refeições e lanches ou se consumirão no local, uma coisa provavelmente não mudará: a hospitalidade e a execução sólida permanecerão no centro, disseram os participantes do painel.

“Estou tão otimista sobre o nosso futuro e sobre o setor quanto já estive”, disse McEnery. “Há tantas oportunidades de inovação em nossa indústria por vir… Mas tem que ser feito com muita disciplina e foco nos fundamentos”.

* Imagem divulgação

Deixe uma resposta