Investir na busca de talentos em grupos marginalizados pode fortalecer a indústria do foodservice

71
[tempo para leitura: 3 minutos]

Contratar e reter funcionários é uma das principais preocupações dos operadores de foodservice, e o acesso a populações subempregadas oferece uma solução que pode beneficiar os restaurantes, a indústria em geral e as comunidades que atende. Investir em populações como esposas de militares, jovens que buscam uma oportunidade e ex-presidiários pode oferecer valiosos treinamentos e oportunidades de trabalho para grupos que foram negligenciados, e criar um novo time de funcionários leais e motivados.

Esta foi uma das conclusões do painel “The Case for Opportunity Employment: How to Address Your Business Needs While Doing Good” (A chance para o emprego de oportunidade: como utilizar suas necessidades de negócios para fazer o bem) do National Restaurant Association Show, em Chicago.

A indústria de restaurantes forneceu 14,7 milhões de empregos em 2017 recure a National Restaurant Association espera que esse número cresça 1,6 milhão até 2027. Recrutar talentos inexplorados pode oferecer uma solução para um mercado de trabalho já apertado, disse Kimberly Shin, diretora associada da Talent Rewire Initiative para a empresa de consultoria FSG, que moderou o painel.

“Como estamos em um momento com baixo nível de desemprego, é ainda mais importante buscar pessoas onde você pode não ter procurado antes”, disse Laura FitzRandolph, vice-presidente executiva e diretora de Recursos Humanos da HMSHost.

Essas populações que detêm enorme potencial para contratação pelos setores de foodservice e de hospitalidade são imensamente sub-representadas, especialmente em proporção ao seu tamanho. Uma em cada sete pessoas nos EUA entre as idades de 16 e 24 anos é classificada como “jovens em busca de oportunidade”, o que significa que eles não estão empregados ou na escola, de acordo com a FSG. Entre a população adulta dos EUA, quase 1 em cada 3 tem antecedentes criminais.

Muitos restaurantes já podem ter ex-presidiários entre seus funcionários sem saber. Quando a cadeia de pizzarias MOD Pizza descobriu que este era o caso em algumas de suas lojas, a empresa “se apoiou nisso”, disse Megan Hansen, que atua como vice-presidente sênior de pessoas da MOD. A empresa agora tem a meta de ter um terço de seus funcionários contratados nestas situações de oportunidades, incluindo pessoas anteriormente encarceradas, jovens em busca de emprego e pessoas com deficiências.

Vários membros do painel notaram que a taxa de retenção entre contratações de oportunidades é maior que a média. Na MOD, Hansen disse que a iniciativa de contratação de pessoas destes grupos teve um efeito cascata, elevando a taxa de retenção dos gerentes gerais. “Eles veem o valor que estão adicionando na vida das pessoas, o que agrega valor a suas vidas”, disse ela.

Para agregar valor à vida dos funcionários e obter o máximo deles, os empregadores precisam criar um ambiente de apoio no qual as contratações possam ser bem-sucedidas. A parceria com organizações baseadas na comunidade pode ajudar os restaurantes a recrutar e fornecer uma rede de apoio aos funcionários.

As organizações comunitárias podem ajudar a preencher a lacuna, apoiando pessoas quando elas não estão trabalhando para permitir que elas continuem indo para o trabalho, disse Monica Tijerina, diretora do Global Youth Program (Programa Global da Juventude) do McDonald’s.

FitzRandolph disse que as empresas também devem trabalhar com os gerentes para criar um ambiente de sucesso. O HMSHost usa um programa de reconhecimento chamado Shout Out que recompensa o progresso além dos resultados, já que “os gerentes precisam entender que a curva de aprendizado pode ser muito diferente” para os contratados de oportunidade.

“Se você utilizar um pouco de tempo e esforço extra para treinar alguém de uma dessas populações únicas que não tiveram exposição suficiente ou uma chance, elas serão tão leais e trabalharão tanto, porque você lhes deu essa oportunidade”, disse Melissa Stirling, diretora sênior dos programas militares e juvenis da Hilton Worldwide.

A promoção de um ambiente no qual todos os funcionários possam ter sucesso ajuda a criar lealdade, mas também tem implicações maiores para o futuro do setor como um todo.

“Quando os jovens vêm trabalhar para nós, percebemos que eles podem não trabalhar para sempre, mas queremos ajudá-los no ensino médio, na faculdade, queremos ajudá-los a dar os próximos passos, sejam quais forem”, disse Tijerina. O McDonald’s oferece assistência para obtenção de diploma de conclusão do ensino médio e de ensino universitário por meio do seu programa Archways to Opportunity (Caminhos para a Oportunidade). Enquanto alguns funcionários usam essas ferramentas como um trampolim para carreiras em outras indústrias, outros também podem ajudar a construir a próxima geração de líderes da indústria de restaurantes.

“O número de histórias que tenho na minha própria empresa de pessoas que começaram como caixas ou cozinheiros e agora estão liderando restaurantes como gerentes gerais ou diretores de operações, ou mesmo vice-presidentes, dentro de nossa empresa, são incontáveis”, disse FitzRandolph. “Esta é uma grande oportunidade para aqueles que nos levarão para o futuro”.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta