Restaurantes mudam estratégia para atender alta demanda no Dia dos Namorados

275
[tempo para leitura: 3 minutos]

Às vésperas do Dia dos Namorados, o setor de bares e restaurantes se prepara para absorver o alto fluxo de clientes na data comemorativa. Entre as novidades, está a mudança na disposição de mesas em razão do novo perfil de casais e adoção de estratégias para eliminar o tempo de espera na fila nos estabelecimentos.

“O Dia dos Namorados é uma das datas mais importantes, em termos de fluxo, no nosso calendário. Para isso, resolvemos trabalhar com dois turnos de reservas no período da noite para evitar filas. Além disso, percebemos nos últimos três anos o aumento de grupos de amigos ou casais que resolvem comemorar a ocasião junto”, argumentou uma das sócias do restaurante Chalezinho, Meg Mattani.

De acordo com a executiva, o movimento que vem se intensificando com o tempo fez com que o estabelecimento transformasse o formato tradicional – mesa para duas pessoas – em um ambiente para acomodação de até três casais em uma mesa. “A instalação de mesas maiores foi um aspecto interessante para o negócio e do tíquete médio também. Em dias comuns, o gasto costuma ser de R$ 300 por casal. Porém, nesta data, esse valor pode chegar até a R$ 420”, afirmou ela, destacando que pelo fato do negócio ter como carro-chefe o fondue, o agrupamento de casais para a data ocorre de forma mais fácil. Além disso, a executiva destaca que mais de 90% dos pedidos no negócio são voltados para a iguaria o que facilita a logística de atendimento.

Na mesma linha de raciocínio, a sócia-diretora da consultoria GS&Libbra, Cristina Souza, afirma que o foco em um cardápio específico pode facilitar o atendimento aos clientes e evitar demora no preparo dos pratos. “Os estabelecimentos devem ter em mente que podem receber o dobro do fluxo de clientes que recebem convencionalmente. Com isso, começar um bom atendimento desde o momento da espera, oferecendo opções de drinks, petiscos e ambientes confortáveis são estratégias para agilizar esse momento”, argumentou Cristina.

Nesse sentido, a consultora afirma que a aposta em bebidas alcoólicas e nas sobremesas pode elevar o tíquete médio das mesas, tendo em vista o “forte caráter comemorativo dessa data”. “Informar o preço de entradas, pratos e sobremesas de forma antecipada também pode ser visto como algo positivo para o cliente se organizar. Atualmente, a divisão do pagamento da conta entre o casal é comum”, complementou a consultora.

Outro exemplo de estabelecimento que prevê movimento 40% maior do que o registrado no ano passado é o restaurante Felix Bistrot. “Para este ano, resolvemos ampliar o espaço disponibilizando mais mesas para acomodar essa demanda e contratamos dez funcionários extras”, afirmou o proprietário do estabelecimento, Emanuel Bleier.

De acordo com o executivo, cerca de 60% dos casais que o negócio deve receber na data comemorativa são clientes fidelizados, que frequentam o restaurante desde o “início do namoro”. “Tendo em vista esse movimento, passamos a disponibilizar também a realização de casamentos aqui”, complementou Bleier.

Ainda segundo ele, para a ocasião, houve o desenvolvimento de um cardápio exclusivo, com foco em champagnes, vinhos e gin. “Essa categoria de bebidas é importante para elevar nosso tíquete médio. Tradicionalmente, esse gasto fica em R$ 100. No entanto, nesta data especificamente tem potencial para chegar a R$ 170”, concluiu.

Em linha com o dono do Felix Bistrot, o sócio-fundador do restaurante Paris 6, destaca a importância da data para elevar o faturamento do negócio. “O volume de casais deve ser em torno de 30%. Para este ano, decidimos manter o nosso menu convencional e foco no nosso carro-chefe na parte de sobremesas, o grand gateau”, explicou ele, lembrando que o consumo de vinho também deve aumentar.

Por fim, o executivo diz que também viu a necessidade de contratação de mais funcionários para o atendimento às mesas no negócio.

Fonte: DCI
* Imagem reprodução

Deixe uma resposta