Alta no atacado compensa deflação no varejo

76
[tempo para leitura: 1 minuto]

A alta dos preços no atacado compensou a deflação no varejo e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 0,73% na primeira prévia de junho, de 0,58% no mesmo período do mês anterior.

Os dados informados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu no período 1,15%, após avanço de 0,74% na primeira prévia de maio. O IPA mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral.

As matérias-primas brutas passaram a subir 3,51% no período, de alta de 0,63% na primeira prévia de maio, sob a pressão dos preços de minério de ferro (+10,81%), soja em grão (+5,47%) e milho (+1,70%)

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, caiu 0,09% na primeira prévia de junho, de alta de 0,35% no período anterior.

O destaque ficou para o recuo de 0,26% no grupo Transportes, contra alta anteriormente de 1,10%, em meio à deflação de 0,30% da gasolina.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, teve recuo de 0,07% na primeira prévia do mês, depois de ter subido 0,09% antes.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Fonte: Reuters

*Imagem reprodução

Deixe uma resposta