Mercado na Tailândia adota folhas para embalar alimentos

179
[tempo para leitura: 2 minutos]

O Brasil é o quarto país do mundo que mais gera lixo plástico no mundo, porém, é um dos que menos recicla. De acordo com pesquisa da Forbes, a taxa de reciclagem brasileira é
de apenas 1,28%, enquanto a média mundial é 9%. O Estados Unidos possui uma taxa de 34,6% e a China de 21,9%.

Nesse sentido, torna-se extremamente importante a discussão da redução do lixo
plástico por parte dos fornecedores de foodservice; uma vez que a utilização de
itens plásticos é recorrente no setor de alimentos e bebidas. Logo, trazer novas, ou mesmo antigas soluções para as embalagens de alimentos é extremamente importante.

Pensando nesta questão, uma loja em Chiangmai, na Tailândia, substituiu as
embalagens plásticas de legumes e vegetais por folhas de bananeiras. Uma empresa
imobiliária local tirou fotos e publicou nas redes sociais.

Seguindo o exemplo da Tailândia, grandes redes de supermercado no Vietnã, como
Lotte Mart e Big C, resolveram adaptar-se a ideia e irão começar a usar a folha de
bananeira como alternativa ao plástico.

A folha de bananeira é uma excelente opção para embalagem. As folhas são grandes
e grossas, mas flexíveis o suficiente para serem dobradas. Além disso, é possível visualizar a maneira de segurar as folhas com fibras, tornando as embalagens, assim, 100% ecológicas.

O uso de folhas de bananeiras é mais fácil em regiões tropicais, onde existem
plantações de banana. As folhas, por não terem outras utilidades práticas, podem ser
até mais baratas que as embalagens de plástico. No entanto, em regiões de climas
subtropicais e temperados a oferta de folhas de bananeira é menor, tornando-se um
item mais caro.

Por fim pode-se ver que as embalagens de folha de bananeira tornam os alimentos
mais atrativos. Podendo, assim, estimular as pessoas a comparem o item. Dessa
forma, a embalagem de folha de bananeira é uma ótima opção podendo trazer
diversos benefícios.

O zongzi é um prato tradicional da culinária chinesa, é tipicamente um arroz
glutinoso cozido com alguns recheios (frango e legumes) embalados na folha de
bambu. Mas em outros lugares são utilizadas folhas de lótus, milho, banana,
gengibre-concha e pandan. Normalmente costuma-se cozinhar ao vapor ou fervendo
e no final termina-se de cozinhar já embalado na folhas, sendo cada tipo de folha
responsável por um sabor único.

No Brasil, temos um grande exemplo de alimento que tem sua embalagem ecológica.
A pamonha é normalmente embalada em folha de milho. Assim, é interessante
perceber que o uso de folhas como embalagem é antigo mas limitado para poucos
exemplos. A Casa Santa Luzia, empório localizado em São Paulo, também aderiu aos testes
e deve exibir os resultados em breve.

Espera-se que a ideia da loja na Tailândia inspire cada vez mais estabelecimento de
food service ao redor do mundo no uso de embalagens alternativas e mais naturais.
Afinal, não precisamos gastar dinheiro produzindo plásticos não sustentáveis,
quando a natureza já oferece opções prontas e mais sustentáveis.

Fonte: Infood
* Imagem reprodução

Deixe uma resposta