CEO do Walmart afirma que empresa tem feito ajustes para crescer no e-commerce

351
[tempo para leitura: 2 minutos]

O Walmart é um gigante do varejo, mas Doug McMillon, CEO da empresa, admite que teve que fazer grandes ajustes para manter o comércio eletrônico e, mais especificamente, concorrer com a Amazon, após ter ficado para trás.

O executivo afirmou que o Walmart está passando por uma transformação para atender às novas demandas de compras dos consumidores.

“Obviamente lojas de tijolos e argamassa são uma coisa. O comércio eletrônico, de certa forma, começou a parecer um canal independente ou um negócio independente”, disse McMillon. “Sim, nós ficamos para trás e temos feito várias coisas para acelerar esse progresso, aprender ao longo do caminho e nos aprimorar no que se refere à experiência do cliente.”

O varejo evoluiu para um “mundo omnichannel”, onde as lojas do Walmart são um benefício. A companhia possui 11.300 lojas em todo o mundo. “Hoje estamos muito focados em criar uma experiência perfeita para a marca Walmart, unindo as lojas e o comércio eletrônico”, esclareceu McMillon. “As lojas têm algumas vantagens e estamos tentando aproveitar ao máximo isso. E, em seguida, acompanhar o comércio eletrônico e melhorar a experiência do cliente, colocando-os juntos de uma maneira única, que os clientes não apenas economizarão tempo e dinheiro, mas também criando a experiência ideal.”

McMillon procurou mostrar que o Walmart não está apenas prestando atenção à concorrência, mas também está disposto a adotar as melhores práticas deles. Com relação ao gigante do comércio eletrônico Amazon, ele destacou a inovação e a velocidade entre as qualidades a serem replicadas.

“Não somos orgulhosos, não somos egoístas”, disse McMillon. “Se alguém está fazendo algo melhor do que nós, vamos copiar e colar o que devemos. No caso da Amazon e outros, claramente os clientes estão respondendo à conveniência”.

Uma das maneiras pelas quais McMillon demonstrou as diferenças entre o Walmart e a Amazon são suas lojas de tijolo e argamassa e cadeia de suprimentos. O Walmart tem mais de 100 centros de distribuição e atendimento, mas, segundo McMillon, eles desempenham várias funções. Existem cerca de 20 centros de atendimento “dedicados ao e-commerce”.

Segundo o site da Amazon, a empresa possui mais de 75 centros de atendimento.

Mas McMillon disse que as lojas do Walmart operam como “lojas duplas e centros de coleta”, especialmente para itens perecíveis, como alimentos, que precisam ser vendidos em um curto espaço de tempo ou descartados. A empresa reforçou suas opções para colocar itens nas mãos dos clientes, com o click and collect ganhando popularidade.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta