Casino tem alta nas vendas na América Latina e na França

215
[tempo para leitura: 3 minutos]

O Grupo Casino divulgou o balanço dos resultados financeiros do primeiro semestre e segundo trimestre de 2019. Na América Latina, as vendas do grupo varejista francês registraram crescimento de 10,1%. Um dos principais motivos para esta alta foi o desempenho sólido da bandeira Assaí no Brasil, na primeira metade do ano.

Com aumento de 3,5% em vendas líquidas no período, o grupo teve lucro operacional de 347 milhões de euros, também alavancado pelo lucro comercial do GPA, que cresceu 7% em bases orgânicas, excluindo créditos fiscais.

No segundo trimestre de 2019, as vendas do GPA e do Éxito tiveram crescimento orgânico de 8,8% e de 3,8% dentro do conceito mesmas lojas. Graças ao sucesso do atacarejo e expansão contínua, o Assaí registrou ganhos de 8,1%, no critério mesmas lojas, e de 23,2% no orgânico.

As vendas da Multivarejo foram reduzidas durante o trimestre, principalmente refletindo a base desfavorável de comparação criada pela Copa do Mundo de 2018. O e-commerce registrou crescimento de 37% e continuou uma forte expansão, com introdução de novos serviços de entrega e aumento da penetração do app Meu Desconto (9,2 milhões de downloads).

O processo de venda da participação do GPA na Via Varejo foi realizado em junho deste ano, por um preço de €615m. No mesmo mês, foi lançado um projeto para simplificar a estrutura do Grupo na América Latina, particularmente combinando todas as atividades do GPA e migrando as quotas da empresa para o Novo Mercado, que é um segmento líquido que oferece acesso a uma base estendida de investidores internacionais.

Na França, todas as bandeiras apresentaram crescimento, sobretudo na categoria mesmas lojas. No segundo trimestre, as vendas mesmas lojas cresceram 0,7% e 2,5% na análise de dois anos. No primeiro semestre de 2019, as vendas líquidas consolidadas cresceram mais de 3,5% em uma base orgânica, chegando a €17,8 bilhões.

A bandeira de descontos Cdiscount apresentou forte aceleração no crescimento do volume bruto de mercadorias, de 13% no segundo trimestre de 2019, com uma cota de mercado de 40,1%. O lucro comercial da bandeira na França foi de €151m, com crescimento de 11 pontos na margem do varejo, com aluguéis adicionais relacionados ao plano de alienação mais do que à compensação pela redução líquida nos custos. A margem do EBITDA da Cdiscount ficou cima de +96bps, em conexão com a cota do mercado.

O Grupo Casino iniciou um plano de redução de custos desenvolvido para gerar pelo menos €200m em redução de custos até 2020. Uma economia de €60m foi alcançada no primeiro semestre de 2019, graças à otimização das despesas da sede (bandeira e corporativa) e dos custos de loja (economia de €29m); melhores condições de compra para bens que não são para revenda; sinergias em logística entre bandeiras (economia de €15m). Para o segundo semestre, o Grupo pretende alcançar €70m em redução total de custos, elevando o total do ano para €130m, indo além da meta inicial de €100m, levando em conta o progresso feito nos planos de ação para o primeiro semestre que estão adiantados no cronograma.

A companhia também lançou no fim de 2018, um plano para a alienação e fechamento de lojas deficitárias, o chamado Plano Rocade. Até o momento, 56 lojas foram alienadas, das quais 39 são lojas integradas, incluindo 15 hipermercados, e 118 lojas foram fechadas, incluindo 56 lojas integradas. Essas transações representam ganho de €52m em lucro comercial em uma base anual para lojas integradas e €27m para as franquias-master nas quais o Grupo tem 49% de participação.

Custos não recorrentes de €85m foram incluídos no plano e são amplamente cobertos por proveitos da alienação de €233m. O desenvolvimento do plano continuará no segundo semestre, a fim de conquistar um ganho total de €90m em lucro comercial em uma base anual.

A empresa apresentou um forte crescimento no e-commerce, de 28%, além da extensão da oferta na Amazon para Paris, seus subúrbios e outras cidades francesas. O e-commerce Cdiscount, considerando apenas produtos não alimentares, teve crescimento orgânico de 11%.

O grupo investiu nos formatos flutuantes de lojas, com a abertura de 30 novas unidades premium e de conveniência no primeiro semestre de 2019. A abertura de 50 novas lojas está planejada para o segundo semestre deste ano.

As vendas de produtos orgânicos cresceram 7,8% no primeiro trimestre e o e-commerce 11,5%. As vendas brutas de produtos alimentares no e-commerce aumentaram 28%, chegando a €187m, devido, principalmente, à parceria com a Amazon.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta