McDonald’s é a rede de fast food mais valiosa do mundo

504
[tempo para leitura: 2 minutos]

A varejista global de foodservice McDonald’s é a marca de fast food mais valiosa do mundo, de acordo com o ranking das 100 Marcas Globais Mais Valiosas da lista do BrandZ de 2019, divulgado na Bolsa de Valores de Nova York. O ranking combina a análise do desempenho financeiro das empresas com as opiniões de milhões de consumidores pesquisados em mais de 50 mercados em todo o mundo.

A capacidade do McDonald’s de explorar tendências, como a crescente demanda por alimentos e embalagens mais saudáveis e que são melhores para o planeta, ajudou a marca a crescer 3%, se mantendo no número 1 no ranking, com um valor de marca de US$ 130,4 bilhões. Muitas de suas lojas agora oferecem aos clientes a opção de fazer pedidos no balcão, em um quiosque ou por meio de um aplicativo, e coletar o pedido em uma janela ou tê-lo entregue na mesa. Esse foco incansável na experiência do cliente também levou o McDonald’s a adquirir uma startup de inteligência artificial.

A Domino’s Pizza (nº 5 no ranking de fast food, avaliada em US$ 9,6 bilhões) e a Chipotle (nº 9, US$ 6,2 bilhões) também digitalizaram sua experiência com inteligência artificial. A rede de pizzarias recompensa os clientes com pontos de fidelidade, quando eles enviam fotos de seus smartphones que são reconhecidas pelo aplicativo como pizza e planeja permitir a realização de pedidos por meio de carros conectados.

A Chipotle possibilita que as pessoas façam pedidos antecipadamente (online ou via celular) e terem suas refeições esperando em um drive-thru da sua escolha. Ela também tentou recuperar sua credibilidade fresca e saudável em uma campanha chamada “For Real”, que enfatizava ingredientes frescos. A pesquisa do BrandZ mostra que esses desenvolvimentos ajudaram a churrascaria mexicana a ser vista pelos consumidores como desejável, aventureira, rebelde e, em última instância, diferente.

David Roth, CEO da The Store WPP para Europa, Oriente Médio e África e presidente da BrandZ, afirmou: “O poder passou dos varejistas para as pessoas que compram. Os compradores não se importam com os canais, eles se preocupam com conexões, opções e conveniência. Para competir na corrida de hoje, os varejistas estão investindo em tecnologia que melhora a experiência do cliente, além de se concentrar em oferecer algo especial que garanta que eles se destaquem.”

Muitas marcas no ranking se beneficiaram do crescimento na China. Starbucks (nº 2, US$ 45,9 bilhões), KFC (nº 3, US$ 17,2 bilhões), Pizza Hut (nº 6, US$ 7,6 bilhões) e Taco Bell (nº 10, US $ 6,2 bilhões), por exemplo, estão crescendo em lojas e receitas na China. A personalização de menus para incluir uma combinação de opções ocidentais e chinesas, além de mais variedades de entrega (como a parceria da Starbucks com a Alibaba) está ajudando nessa expansão.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta