Iguatemi cresce em vendas e atinge R$ 3,5 bilhões no segundo trimestre de 2019

92
[tempo para leitura: 2 minutos]

A Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. (IGUATEMI | B3: IGTA3), com participação em 15 shopping centers, dois premium outlets e quatro torres comerciais, apresenta resultado sólido e positivo no segundo trimestre de 2019.

Apesar das constantes revisões negativas de projeções econômicas, a companhia apresentou um aumento de 7,9% nas vendas totais, atingindo R$ 3,5 bilhões no trimestre e um crescimento de Ebitda de 3,9% em comparação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 137,7 milhões, com margem de 73,4%.

Ainda em um cenário de tímida retomada, a disciplina da companhia em focar em empreendimentos de alta qualidade e no público A/B, foi fundamental para atrair novos varejistas no processo de remodelação do mix de lojas dos shoppings e otimização da produtividade por metro quadrado ocupado, mesmo num período mais sensível.

Paralelo a isso, o trabalho gradual de retirada dos descontos dos lojistas, somado a inflação do período e maturação de novas operações, foram importantes para impulsionar os bons números apresentados neste trimestre.

“Acreditamos que estamos bem preparados para os próximos desafios e estamos confiantes de que, mais uma vez, iremos entregar o guidance divulgado no início de 2019. Temos percebido um maior interesse de lojistas e nosso time se dedica diariamente para ocupar espaços com marcas qualificadas e operações cada vez melhores.

Essa é nossa expertise e seguiremos nossa estratégia de investimento no portfólio e melhorias na experiência do consumidor”, conta Cristina Betts, CFO da companhia.

No trimestre encerrado em 30 de junho, a Iguatemi registrou crescimento de 7,2% nas vendas mesmas áreas (SAS) e de 6,9% em mesmas lojas (SSS). Os aluguéis em mesmas áreas (SAR) e em mesmas lojas (SSR) apresentaram alta de 7,4% e 10%, respectivamente.
A receita líquida no trimestre alcançou R$ 187,7 milhões, 7,2% acima do registrado no

mesmo período de 2018, enquanto o FFO atingiu R$ 91,6 milhões, 4,3% superior. O Lucro Líquido, por sua vez, apresentou uma leve queda de 0,8% em relação ao segundo trimestre do ano anterior, atingindo R$ 60,1 milhões.

“Apesar de adotarmos uma postura mais cautelosa neste momento, estamos animados com os projetos que estão no pipeline, especialmente com a proximidade do lançamento do Iguatemi 365, nosso marketplace. Temos como compromisso seguir inovando para atender o novo consumidor e, até o fim de setembro, conseguiremos proporcionar uma experiência 100% omnichannel aos clientes, participando de sua jornada no ambiente on e off”, completa a executiva.

No total, o desempenho dos shoppings a 100% resultou em receita de aluguel de R$ 257,5 milhões no trimestre, alta de 6% em relação ao ano anterior. A receita de estacionamento, por sua vez, chegou a R$ 60,2 milhões, 4,2% maior que no segundo trimestre de 2018. O desempenho destes indicadores é um reflexo da maturação dos projetos inaugurados nos últimos anos, do adensamento do entorno imediato de alguns ativos, da atualização no mix e do aumento na tarifa do estacionamento.

Até o fim do mês de junho, a dívida total da Iguatemi era de R$ 2,1 bilhões, 0,7% acima em relação ao primeiro trimestre de 2019. A dívida líquida da companhia recuou 0,06% no mesmo intervalo, para R$ 1,4 bilhão, levando a um múltiplo Dívida Líquida/EBITDA de 2,55x.

* Imagem reprodução

Deixe uma resposta