Nike faz parceria com Foot Locker para implementar tecnologias interativas em lojas

559
[tempo para leitura: 4 minutos]

A Foot Locker firmou parceria com a Nike para abrir lojas maiores e mais interativas, as chamadas lojas Power. Essas unidades são quatro vezes maiores do que uma loja típica da Foot Locker em shoppings. A mais nova foi inaugurada neste final de semana em Nova York – no bairro de Washington Heights, em Manhattan.

A varejista planeja abrir mais de 50 lojas Power nos próximos três anos. Hoje, ela possui quatro nos EUA: uma em Detroit, uma em Nova York e duas na Filadélfia.

A loja de cerca de 9 mil pés quadrados em Washington Heights é o primeiro local onde a Nike trouxe parte de sua tecnologia para a loja física de outro varejista. Na loja, os membros do clube de fidelidade da Nike podem escanear um código de barras dentro de seu aplicativo Nike para ganhar brindes como óculos de sol, comprar produtos exclusivos e ter a chance de ganhar um par de tênis grátis.

A marca instalou na Foot Locker algumas das coisas que está testando em sua loja Nike Live, na Melrose Avenue, em Hollywood.

“Isso é um grande negócio para nós”, disse Ann Hebert, vice-presidente de vendas globais da Nike. “Não é algo que tradicionalmente fazemos.”

Mas, de acordo com a executiva, a Nike trabalhou com a Foot Locker “por décadas”. E, ela acrescentou, a empresa percebeu que não pode continuar crescendo sozinha, especialmente em bairros onde ela não tem uma loja.

A Nike é a maior parceira da Foot Locker. E a Foot Locker também é um dos maiores atacadistas da Nike. A Foot Locker disse que comprou cerca de dois terços de sua mercadoria da Nike em 2017 e 2018.

E, embora a Nike tenha expandido seus negócios de venda direta para o consumidor – construindo seu site e aplicativos móveis como o SNKRS -, ainda precisa de parceiros importantes como a Foot Locker e a Nordstrom para alcançar compradores que não moram perto de uma loja da Nike ou não querem comprar na Nike.com.

“Os parceiros estendem esse relacionamento com o cliente para nós”, disse Hebert. “Nós sabemos que [os consumidores] querem escolha. Então, queremos ter certeza de que estamos localizados no caminho deles.”

As vendas dos negócios da Nike Direct subiram 12% em termos de moeda neutra, chegando a US$ 10,4 bilhões no ano fiscal em 2018, depois de ter atingido US$ 9,1 bilhões em 2017. A receita direta agora representa cerca de 30% da receita total da marca Nike, disse a empresa, alimentada em grande parte pelo crescimento online.

Para a Foot Locker, a nova Power Store oferece um vislumbre do futuro de seus negócios.

Não é segredo que o fluxo de pedestres em shopping centers está caindo e mais vendas estão mudando para o online, para lugares como a Amazon. E assim, a Foot Locker sabe que precisa reinventar suas lojas.

A empresa tem que encontrar um modelo que seja atraente o suficiente para atrair pessoas e fazê-las voltar. A Foot Locker também está competindo com empresas como Finish Line, Dick’s Sporting Goods e Famous Footwear.

Quando divulgou os resultados do primeiro trimestre do ano, a Foot Locker reduziu sua perspectiva de lucro para o ano, para um crescimento de um dígito alto, a partir de uma previsão de dois dígitos, citando planos de recompra de ações mais baixas. Isso levou alguns investidores a vender ações, que caíram cerca de 24% este ano.

Jay Sole, analista do UBS, também reduziu no mês passado sua meta de preço para as ações da Foot Locker, com base nas tarifas de 10% previstas para entrar em vigor em 1º de setembro, para US$ 40, de US$ 61.

“Nossa abordagem é definitivamente entender como a tecnologia e o consumidor se comportam dentro da [Power Store]”, disse Frank Bracken, vice-presidente da Foot Locker, Kids Foot Locker e Lady Foot Locker. Ele disse que a empresa planeja implantar unidades adicionais em “comunidades carentes”, onde há uma forte “cultura de tênis”.

A loja do Washington Heights possui espaço para mulheres e crianças no andar de baixo e homens no andar de cima, com muitos equipamentos da marca Nike e da marca Jordan. A loja possui lockers onde as compras feitas no online podem ser retiradas pelos clientes.

Conta ainda com um salão no andar de cima, com amplas cadeiras e televisões de tela plana, para a realização de eventos. A Foot Locker também contratou vários fornecedores locais para vender roupas. A companhia planeja seguir o modelo em todas as lojas Power.

“Somos capazes de fazer ativações e eventos… trazer empresários”, disse Bracken. “Essa loja serve de inspiração para as crianças”.

A Foot Locker disse em seu último relatório anual que planeja aumentar os gastos através de seu programa de capital para US$ 275 milhões em 2019, dos US$ 187 milhões no ano passado, com a maior parte desse aumento dedicada à construção de mais lojas Power.

A loja Washington Heights é o começo do maior lançamento de tecnologia da Nike, tanto na Foot Locker quanto em outros atacadistas.

Para alcançar mais consumidores, a Nike sabe que precisa de acesso ao mercado imobiliário. Ela tem cerca de 30 lojas da marca Nike, excluindo lojas de fábrica, nos EUA. A Foot Locker tem mais de 800 lojas nos EUA, não incluindo a Lady and Kids Foot Locker.

“Temos um critério realmente estrito no qual estamos trabalhando agora”, disse Hebert sobre como a empresa escolherá quais atacadistas trabalhará em seguida. “O objetivo é trazê-lo para outros parceiros que compartilham a mesma visão de serviço ao cliente que fazemos.”

“A Nike precisa da Foot Locker por sua extensa rede norte-americana de distribuição, concentrando-se no crescimento de sua distribuição premium no varejo”, disse Randy Konik, analista da Jefferies.

As ações da Nike, que têm um valor de mercado de US$ 130,1 bilhões e subiram cerca de 12% este ano.

Fonte: CNBC
* Imagem reprodução

Deixe uma resposta