“Quanto mais benefícios o varejo puder oferecer, mais conseguirá brigar por condições”

419
[tempo para leitura: 3 minutos]

A VTEX nasceu em meio ao boom da internet, em 1999. Em sua trajetória, ajudou a inserir empresas e empreendedores de diversos tamanhos no comércio digital. Hoje, a companhia tem cerca de 2,5 mil clientes ativos em mais de 20 países e possui unidades em 14 cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Miami, Londres, Buenos Aires, Santiago do Chile, Bogotá, Cidade do México, Lima, Barcelona, Berlin, Milão, Medellín e Bucareste.

Felipe Dellacqua, VP de Vendas da companhia, está confirmado no 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios. Ele falará sobre Plataformas e exponenciação de resultados, no painel A transformação dos modelos de negócios: diversificação e reinvenção de modelos tradicionais. Confira o bate-papo exclusivo com o executivo da companhia:

[M&C] Como a VTEX vem transformando seu modelo de negócio?
[Felipe Dellacqua] A VTEX tem como objetivo democratizar o acesso à tecnologia de ponta a varejistas de todos os tamanhos. Quanto mais clientes temos, mais escaláveis somos e conseguimos repassar isso para toda nossa base, gerando benefícios para todos os tipos e tamanhos de clientes.

Com essa tecnologia, nossos clientes conseguem ter uma gestão mais confiável, melhorar sua efetividade operacional, aumentar suas margens e gerar mais valor para seus acionistas. Dando inúmeras possibilidades e ofertas para todos os canais, evoluir em uma estratégia omnichannel nunca foi tão fácil quanto é hoje para um cliente VTEX.

A VTEX expandiu recentemente a oferta de solução para varejo integrada ao Google Shopping. Como ela ajuda os varejistas?
É inegável a força que o Google tem em relação à audiência. E é cada vez mais comum a integração da busca com o shopping dentro do Google. O Google Shopping integrado com o Google Places, no qual você configura a localização das suas lojas físicas e o Local Inventory Ads, permite que se faça uma campanha geolocalizada com a leitura de estoque da loja.

Permite, também, que você leve para o marketing toda a visibilidade do omnichannel através de uma integração leve e robusta por API, como a que temos com o Google, garantindo benefícios tanto no lado do cliente final – que consegue ter informações de disponibilidade e estoque sem precisar entrar no site -, como para o lojista – que consegue levar todos os benefícios da integração de canais para a camada de marketing.

Por que o e-commerce cross border é importante como estratégia?
A globalização vem reduzindo cada vez mais as barreiras de entrada comercial entre países. É normal que países mais desenvolvidos sejam os precursores nesse movimento, principalmente em países como a China, que nasceram com o conceito de exportação. O ponto crítico é que hoje, sites internacionais americanos, chineses e europeus já estão vendendo dentro de marketplaces nacionais, como o B2W Digital, por exemplo.

Portanto o cross border é uma questão de sobrevivência para o e-commerce brasileiro não depender apenas das vendas nacionais e se conectar em marketplaces internacionais, como os sites têm feito no Brasil.

Quais os desafios do e-commerce no Brasil?
O e-commerce tem dois grandes desafios este ano. O primeiro é a busca por margem em um mercado viciado em promoções, frete grátis e parcelamento em 12x que trazem um custo de venda muito alto, levando muitas vendas a uma margem negativa. Então, a busca por eficiência operacional e fidelização deve ser um dos focos do e-commerce neste ano, para evitar conversões por meio de promoções agressivas.

O segundo desafio é a integração de canais. Quanto mais benefícios o varejo puder oferecer ao cliente – como entrega expressa e pontos de retirada no mesmo dia, por exemplo -, mais ele conseguirá brigar por condições, e não mais por preço. Desta forma, melhora sua eficiência e margem com uma tacada só.

O 10º Fórum Internacional de Gestão de Redes de Franquias e Negócios acontece nos dias 1 e 2 de outubro, no Teatro Santander, em São Paulo. Em nove edições, já recebeu mais de 9 mil executivos, dentre CEO’s, diretores e gerentes, de 2 mil empresas, incluindo as maiores redes de franquias e negócios do país.

Os debates contarão com lideranças de destaque como Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza; Marcelo Bertini, presidente do Cinemark; Chieko Aoki, presidente da rede Blue Tree Hotels; Caito Maia, fundador e presidente da Chilli Beans, entre outros.

* Foto: Marcelo Justo

Deixe uma resposta