É necessário colocar-se no lugar do outro para vender produtos adaptados e especialmente pensados

150
[tempo para leitura: < 1 minuto]

Camila Salek, sócia-fundadora da Vimer, fez a curadoria de um do painel “The Empathy Retail: como o varejo vem transformando sua experiência através da empatia”. Segundo a comunicadora, o tempo é uma das nossas maiores prioridades, hoje. Aliado a ele há, hoje, a sustentabilidade, a individualização, a personalização, o pertencimento e as lutas por causas, as necessidades e a aceitação do seu corpo, mesmo que ele seja diferente.

O varejo deve ser um lugar de encontro entre marcas e pessoas. Cases como o do Xbox com a Microsoft, que adapta o controle remoto a quem tem alguma necessidade especial mostram que é preciso ter empatia na hora de varejar. Ivan Murias, presidente da Tok&Stok, pontuou sobre a importância de as lideranças darem o exemplo. O alinhamento do discurso da loja com a cultura de seus fundadores transforma um produto em uma experiência e isso é primordial para que a marca continue crescendo.

Para tratar deste assunto, também subiram ao palco Mônica Salgado, jornalista e Digital Influencer, já trabalhou na Revista Glamour. O discurso em primeira pessoa, com alma, aproximando a leitor da revista com a linguagem do Instagram conquistou ainda mais o público do veículo. Thiago Hering, COO da Hering, finalizou a palestra ao ressaltar que a revolução digital também envolve a mudança humana. Então, a jornada de empatia com o consumidor engloba os desafios e a busca por novos insumos a fim de melhorar, constantemente, os produtos.

* Foto: Terassan Fotografia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, adicione seu comentário!
Coloque seu usuário aqui